31 agosto 2008

Matizado de morangos e chocolate

Hoje estou mesmo numa de saudosismo.. Despedida do Agosto, das férias e do Verão.. Sim porque todos os anos o fim das minhas férias em Agosto significa sempre o fim do Verão. O fim dos dias de descanso, de praia, de banhos de mar.. Enfim.. E para prolongar um pouco mais o sabor destes dias fiz um bolo com dois sabores que me fazem recordar esta época, morango e chocolate.

A experiência foi superada.. O cheirinho e o sabor a Verão que ficou em casa e na boca enriqueceu o último dia de férias!

Ingredientes: 100gr morangos, 50gr de chocolate negro, 2dl de leite, 1,5dl de óleo, 4 ovos, 1 chávena de açúcar, 2 chávenas de farinha de trigo, 1 colher chá açúcar baunilhado, 1 colher chá fermento em pó, 1 colher chá bicarbonato de sódio, 1 pitada de sal

(B): Com o copo completamente seco, misturar a farinha com o fermento, o sal e o bicarbonato de sódio, 20 seg, vel 3. Reservar.
Triturar o chocolate com 5 golpes de turbo e reservar.
Reduzir os morangos a puré, 15 seg, vel 5. Reservar.
Sem passar o copo por água, encaixar a borboleta nas lâminas e bater os ovos com o açúcar e o açúcar baunilhado 6min, vel 4.
Juntar pelo bucal o óleo e o leite, 15 seg, vel 2.
Retirar a borboleta e envolver a mistura da farinha, 15 seg, vel 3. Se necessário ajudar a envolver com a espátula.

(T): Num recipiente misture muito bem a farinha com o fermento, o sal e o bicarbonato de sódio. Reserve. Reduza os morangos a puré e triture o chocolate. Reserve. Bata os ovos com o açúcar e o açúcar baunilhado durante 5 minutos até obter um creme fofo. Sem parar de bater incorpore o leite e o óleo. Com uma colher de pau envolva delicadamente o preparado da farinha, mexendo sempre de baixo para cima e apenas o suficiente para tudo ficar bem ligado.

Numa forma untada com margarina e polvilhada com farinha (caso não seja de silicone), coloque ¼ da massa e regue com metade do puré de morangos. Verta por cima mais ¼ da massa, delicadamente, e polvilhe-a com metade do chocolate triturado. Cubra com mais ¼ da massa e espalhe por cima o resto do puré de morangos e do chocolate. Cubra com a restante massa.

Pré-aquecer o forno a 150º 5 minutos antes. Coloque o bolo no forno e aumente a temperatura para 180º. Coze durante cerca de 30/40 minutos (verificar com um palito que deve sair seco quando o bolo estiver cozido).

Cada nova camada de massa deve ser vertida com alguma delicadeza para não “afundar” a camada de baixo na massa.

Boa semana!

 

Caldeirada de peixe


Final de Agosto. Fim das férias. Fim do Verão. E final de tanta coisa boa que só volta para o ano! É tempo de carregar baterias porque amanhã regresso ao trabalho e ao dia-a-dia corriqueiro. As folhas já começaram a inundar o meu quintal e o Outono parece começar a chegar, de mansinho...

Ingredientes (para 2 pessoas): 1/2kg de peixe para caldeirada (usei safio, tamboril, raia, tintureira e red fish), 2 tomates grandes maduros, 1 cebola grande, 1 folha de louro, 2 dentes de alho, 2 batatas grandes, ½ pimento vermelho, ½ pimento verde, 2dl de vinho branco, azeite, 1 colher de chá de pimentão doce, sal e grãos de pimenta preta q.b.


(T): Os peixes devem ser arranjados e cortados em postas mais ou menos do mesmo tamanho previamente (se comprar no mercado mistura para caldeirada esta tarefa já está feita). Num tacho largo coloque uma camada de cebola às rodelas, alho laminado e a folha de louro. Faça uma segunda camada de batatas cortadas às rodelas (cerca de 1cm de espessura), uma terceira camada de tomate em rodelas e uma quarta de ambos os pimentos cortados às tiras. Coloque por cima o peixe, e termine com um pouco de tomate e cebola. Regue tudo com um pouco de azeite e o vinho e tempere com o sal, o pimentão doce e os grãos de pimenta. Tape o tacho e leve a lume brando durante cerca de 40 minutos. Não mexa a caldeirada, agite apenas, de vez em quando, o tacho durante a cozedura.


Quando a batata estiver cozida a caldeirada está pronta.

30 agosto 2008

Portobello recheado a dois


Desde que experimentei uma vez uma receita de portobello no forno que fiquei fão destes grandes cogumelos. Nem sempre os encontro nos super's cá do sítio mas quando os avisto nas prateleiras não escapam. De receita original fui ajustanto alguns ingredientes ao meu paladar e finalmente achei o sabor final que hoje partilho convosco.

Para um jantarzinho de duas pessoas vão precisar de:

Ingredientes: 2 cogumelos portobello, 1 cebola pequena, 1 dente de alho, 1 colher de sopa de cubos presunto + 1 colher de sopa de bacon fumado, 3/4 metades de tomate seco (cerca de 30gr), 3 colheres de sopa de polpa de tomate, 0,5 dl de vinho branco, 1 folha de manjericão fresco (das grandes), 2 fatias de queijo mozzarela, 3 colheres sopa de azeite, pimenta q.b.

(B): Lave bem os cogumelos, corte-lhes os pés (ou o que resta deles) e uma fina base no topo e reserve. Coloque a cebola em quartos e o alho no copo e dar 4 golpes de turbo. Limpe as paredes do copo com uma espátula e juntar o azeite, o bacon e o presunto. Cozinhar 5 min, 100º, vel 11/2. Juntar os pedacinhos dos cogumelos, o tomate seco, a polpa de tomate, o manjericão e o vinho. Temperar com pimenta moida a gosto e cozinhar durante 4 min, tem varoma, vel 11/2. No último minuto retirar o copinho para apurar o molho. Triturar tudo 30 seg, vel 4-5. Dispôr os cogumelos numa travessa, rechear com o preparado e cobrir com uma fatia de queijo mozzarela. Regar com um fio de azeite e levar ao forno a 180º até estarem dourados (cerca de 12/15min).

Por norma acompanho com risotto de cogumelos porcini. Pode servir como entrada mas o tamanho de cada cogumelo compromete o prato seguinte. ; )

Bom apetite!

28 agosto 2008

Doce de figo com Moscatel de Setúbal e Desafio da Geleia

Bem, este doce andou aqui na cabeça mas teve que sair!... Quando fui de férias andei matutando sobre o que fazer com um montão de figos que estavam amadurecendo no frigo. Mas, como o tempo não deu pra tudo, acabei por jogar os figos no lixo de tão maduros que estavam. Quando voltei, a minha sogra deu-me mais uma caixa cheia de figos pretos.

Entretanto, e como não minha ausência não consegui manter-me a par das novidades dos blog's que visito, descobri que havia alguns desafios que eu gostava de aceitar, mas pra isso precisava magicar uma receita e alguns desafios estavam mesmo a terminar.

Foi então que hoje decidi pegar nos figos e responder ao desafio da Fer Ayer do
Sabor.
Deu-me um prazer imenso porque andava com estes ingredientes na cabeça há algum tempo e confesso que estava muito curiosa sobre o sabor e textura final. O resultado foi bem do meu agrado e superou as minhas expectativas porque, admito, que para mim qualquer figo fresco se sobrepõe a qualquer doce ou salgado confeccionado com figo. Mas, sinceramente, adorei!

Obrigada Fer pelo desafio!

Agora a receitinha:

Doce de figo com Moscatel de Setúbal




Ingredientes: 500 gr de figos pretos maduros, 200gr de açúcar,
0,5dl de Moscatel de Setúbal, 1 pau de canela


Pelar os figos e triturá-los grosseiramente com a ajuda de uma picadora.
Colocá-los numa panela com o açúcar, o pau de canela e o Moscatel e levar a lume baixo durante 30/40 minutos até obter a consistência desejada. Não esquecer de ir mexendo com uma colher de pau.

Guarde o doce em frascos esterilizados (escaldados em água a ferver) e secos, enchendo-os até 1cm dos bordos. Limpe o excesso que possa cair na boca do frasco, enrosque a tampa e vire-os imediatamente de boca para baixo até o doce arrefecer.


Este doce também pode ser feito na Bimby da seguinte forma:

Pelar os figos e parti-los em metades.
Colocá-los no copo e triturar com 4 golpes de turbo.
Juntar o açúcar, o Moscatel e o pau de canela e programar 20min, 100º, vel 1 inversa.
Substituir o copinho pelo cesto e deixar apurar mais 10min, temp varoma, vel colher inversa.

Rapidinho de cenoura e canela

Muita cenoura no frigorifico e sem saber o que fazer com ela? Dou uma sugestão. Não dá para acabar com todas, mas ajuda!

Ingredientes: 3 cenouras grandes cozidas, 2 chávenas de farinha, 1 chávena de açúcar, 4 ovos, 1 chávena de óleo, 1/2 chávena de leite à temperatura ambiente, 1 colher chá fermento em pó, 1 colher de sopa bem cheia de canela em pó, ganache de chocolate para a cobertura

Untar uma forma de buraco com margarina e polvilhar com farinha. Pré-aquecer o forno a 180º.


(T): Reduzir as cenouras a puré. Colocar todos os ingredientes num recipiente e bater bem até ficarem devidamente ligados.

(B): Colocar as cenouras no copo e reduzi-las a puré, 30 seg, vel 6.
Juntar os restantes ingredientes e bater durante 5 min, vel 4.

Colocar a massa na forma e levar ao forno até ficar cozido (usar a técnica do palito). Depois de frio cobrir com uma ganache de chocolate feita na hora.

Simples, rápido e muito bom!

26 agosto 2008

Arroz de tamboril com amêijoas e camarão



No dia 20 de Agosto comemorámos os 10 meses da princesa junto da familia em Nova Iorque. Como certamente a madrinha não estará cá no seu primeiro aniversário, fizemos uma pequena festinha lá em casa com primos e amigos.
A tarde de cozinha foi minha e como eram muitas pessoas resolvi fazer um arroz de tamboril bem guarnecido. O resultado foi um panelão enorme (que dava quase para um regimento) bastante apreciado por todos. E nesse dia as saudades de casa bateram forte...


Ingredientes: 1 tamboril com cerca de 1kg,
1 kg de amêijoas, 20 camarões médios, 2 chávenas e meia de arroz vaporizado, 2 tomates grandes bem maduros, meio pimento verde, 1 cebola média, 3 dentes de alho, 1 folha de louro, 1 copo de vinho branco, um molho de coentros, azeite, sal e pimenta q.b.


(T): Limpe o tamboril, tirando-lhe a pele e as espinhas. Corte-o em cubos com cerca de 3/4cm e reserve. Coza o camarão e amêijoa e reserve as águas. Descasque-o e retire o miolo das amêijoas. Pique finamente a cebola e o alho e coloque a alourar numa panela com o fundo coberto de azeite. Junte o tomate pelado, sem sementes e cortado em cubinhos, o pimento em tiras finas e pequenas (cerca de 3cm) e o louro. Refogue durante alguns minutos e refresque com o vinho branco. Deixe cozinhar uns minutos mais. Junte os quadrados de tamboril, um copo da água da cozedura do camarão, sal e pimenta a gosto e cozinhe por 10/15 minutos.

Junte o arroz, o camarão descascado e o miolo das amêijoas e 8 a 10 chávenas das águas da cozedura das amêijoas e do camarão (metade de cada) a ferver. Envolva todos os ingredientes com uma colher de pau, tape a panela e deixe cozinhar durante 20min +/-. Retifique os temperos, junte os coentros picados, envolva e deixe cozinhar por mais 10/15 min. Apague o lume e deixe o arroz terminar de abrir com a panela tapada. Sirva de imediato.

25 agosto 2008

Pastéis de Bacalhau


Em casa dos primos em Nova Iorque conseguimos esquecer-nos que estamos longe de casa e da comidinha que o nosso paladar tão bem conhece.

No frigorifico e nas prateleiras as embalagens grandes não enganam quanto à proveniência mas no quintal, o vermelho dos tomates sobressai do verde das tomateiras. A salsa, o majericão, a hortelã e até uns morangueiros completam a pequena hortinha.

O cheirinho a pão caseiro também paira lá por casa e de vez em quando sai uma daquelas fornadas que dá para umas semanitas, bem acondicionada no congelador.

E se há coisa que os primos gostam muito é de pastéis de bacalhau. Eu já tinha enviado a receita por e-mail mas agora quando lá estive a Rosália pediu-me para os fazer porque, diz ela: "os meus não me saem tão bem.." Eu como adoro (mas adoro mesmo!) acedi logo ao pedido e numa tarde de cozinha fiz uma dose de 50 pastéis de bacalhau. Metade para comer na hora e outra metade para congelar. A receita é do senso comum mas vale sempre a pena relembrar e partilhar! Aqui fica:

Ingredientes: 5 postas de bacalhau previamente demolhado 5 batatas médias 4 ovos 1 cebola média salsa sal e pimenta q.b.

Cozer as batatas e o bacalhau na mesma água, com um pouquinho de sal. Entretanto picar finamente a cebola e a salsa e bater as claras em castelo. Reservar. Depois de cozidos, reduzir as batatas a puré e retirar a pele e as espinhas do bacalhau. Desfiar o bacalhau bem miudinho para um recipiente - eu faço esta operaão à mão mas pode ser utilizado uma picadora ou um almofariz. Juntar a cebola e envolver. Incorporar de seguida o puré de batata. Juntar 4 gemas e envolver bem. Temperar com pimenta e sal caso necessário. Juntar a salsa e misturar bem para que todos os ingredientes fiquem ligados.

Com o auxilio de uma colher de pau, incorporar aos poucos as claras em castelo no preparado e envolver delicadamente até obter uma massa homogénea.

Moldar os pastéis com a ajuda de duas colheres de sopa e fritá-los em óleo bem quente. Quando estiverem douradinhos retiram-se para um parto com papel absorvente e deixa-se arrefecer.

Para congelar basta dispô-los num recipiente largo forrado com pelicula aderente e levar ao congelador. Pode optar por deixá-los nesse recipiente desde que devidamente tapado ou colocá-los num saco de plástico bem fechado.

23 agosto 2008

Pedaços de Nova Iorque e uma mala cheia de boas recordações

Quem conhece jamais esquece. Quem não conhece imagina uma cidade frenética, de ruas e ruelas a perder de vista, de fast food e subway's, de magia como no cinema e de tantas outras fantasias que o imaginário constrói.
Nova Iorque é um pouco de tudo isto e muito, muito mais. É a confusão mas é também a magia, sem dúvida. É muitos mundos num só. Uma miscelânea de culturas mas dona de uma cultura muito própria.
Não admira que cada vez que lá vá, venha mais fascinada e ao mesmo tempo muito cansada. A cidade não pára e em Manhattan o tempo voa e as pessoas correm. Estimam-se cerca de 1 540 000 habitantes. Nas ruas confundem-se cheiros, cores, raças e línguas.
Este ano os passeios foram mais curtos porque com um bébé não é fácil percorrer as ruas de Manhattan, muito menos andar no subway. Mas há sitios de visita obrigatória e que desta vez não foram excepção. Houve também tempo para matar as saudades dos bagels, das slices de pizza da Grand Avenue em Astoria, dos cafés do Starbucks, dos gelados da Cold Stone, dos hot dogs à boca do subway...
Enfim, foi bom voltar. E é sempre bom estar perto da familia que não vemos sempre. E no final, é gratificante trazermos uma mala (quero dizer.. 4..) carregada de boas recordações!

Manhattan by night e Triboro(ugh) Bridge ao final do dia

Grandes marcos de NY.. 5th AV, Empire State Building, Times Square, Estátua da Liberdade


Típico vendedor de hot dogs e pretzels, esquilo no Central Park e Jones Beach

Fantástico bolo de gelado da Carvel, slice de pizza da Grand Avenue, mocha e iced vanilla coffe do Starbucks, bagels simples, com sementes de sésamo e de canela e passas (que vieram na mala para Portugal) e banca de legumes do Trade Fair, em Astoria

Soube a pouco, como sempre! See you soon NY!

10 agosto 2008

Bifes de atum fresco com cheirinho a férias

Enquanto ainda é tempo, há que matar as saudades da comidinha portuguesa porque a partir de amanhã entramos no american way of life. É certo que vou ter saudades do peixinho fresco, do marisco, dos nossos temperos, mas também sei que vou-me lambusar com o que de melhor NY tem!

Este será o último post antes das férias (se conseguir dou noticias entretanto) e como me queria despedir em grande deixo-vos o meu almoço de ontem com votos de um excelente Verão para todos!

Ingredientes (para 2 pessoas): 2 bifes de atum 1 cebola média 1 tomate maduro grande 1/2 pimento verde (se for dos grandes basta 1/4) 1 chávena de café de vinho branco 2 paus de óregão 1 folha de louro pimenta preta em grão, sal e azeite q.b.

(T): Tempere os bifes com sal e ervas meia hora antes de os cozinhar. Numa frigideira ou caçarola grande coloque o azeite até cobrir o fundo com 1/2 dedo de altura. Corte a cebola em meias luas, o tomate (já limpo de peles e sementes) e o pimento e deite sobre o azeite. Junte a folha de louro, os grãos de pimenta e os paus de óregãos e deixe refogar uns minutos até alourar. Disponha por cima os bifes de atum, regue com o vinho e deixe cozinhar com a frigideira tapada durante 10 minutos. No final dos 10 minutos vire os bifes e cozinhe por mais 10 minutos. Prontinho!

Costumo acompanhar com batatas em rodelas grossas cozidas em água e sal e paus de óregão.

Agora sim, bom apetite que eu vou de férias!!

08 agosto 2008

Férias e petiscos

Ahh, hoje o fim do dia teve um sabor diferente.. Soube-me a férias, a descanso, a passeio, a sol e a mar.. Já estou a imaginar como vai ser bom levantar-me sem me preocupar com a hora, tomar o pequeno-almoço no jardim, petiscar por aqui e por ali, ler um livro na rede ao fim do dia, banhos de sol e de mar.. Estes sim são os ingredientes perfeitos para umas férias à minha medida! O regresso é só no dia 1 de Setembro e até lá a palavra trabalho foi banida do meu vocabulário! E para começar em grande, um lanchinho super simples mas bem fresquinho!

Ingredientes: 2 fatias de pão de milho (não é o mesmo que broa), 5 barrinhas de caranguejo, 5 colheres de sopa de maionese, 2 ovos cozidos, sumo de meia lima, coentros frescos

Picar as barrinhas e os ovos cozidos grosseiramente, colocar numa taça, juntar a maionese e envolver bem. Regar com o sumo da lima e misturar tudo. Barrar as fatias de pão com este creme e salpicar com coentros frescos picados na hora.

06 agosto 2008

Presunto do mar

Ontem fui jantar com uns amigos a uma marisqueira cá do sítio que frequento regularmente. O prato é sempre o mesmo: mariscada. Mas ontem como havia barriga de atum, coisa que já não comia há imenso tempo, pedi sem hesitar. Grelhadinha e acompanhada de batatinha cozida e salada. E que saudades que tinha de uma barriga de atum grelhada e a transpirar a sua própria gordura! É realmente fantástico e aconselho vivamente ainda que nem sempre seja fácil encontrá-la à venda. Não sei se sabem mas por cá o atum é rei. Em tempo tivémos grandes armações da pesca de atum. Nessa altura abundava e era o sustento de familias que se dedicavam a esta arte. Em Tavira ainda se podem encontrar vestígios da pesca do atum no Hotel Vila Galé Albacora, que era por si só uma comunidade piscatória onde viviam pescadores e suas familias e que depois de votada ao abandono, após a queda desta arte, foi transformada em hotel. Na Praia do Barril, o cemitério de âncoras também é testemunho da pesca do atum.

Hoje encontramo-lo nas bancadas das praças e mercados e em casas de venda exclusiva de produtos tunídeos bastante apreciados por cá em refeições e petiscos.
A muxama é um dos petiscos favoritos. E é a este naco de atum seco que na gíria popular chamamos de presunto do mar. A muxama são pedaços de atum, normalmente sob a forma rectangular, cortados do interior do peixe, junto à espinha que posteriormente são salgados e secos ao natural.

Come-se preferencialmente cortado em fatias muito fininhas e é um excelente petisco por si só ou com queijo fresco ou ainda com azeite, alhos e salsa! Deixo-vos a foto.

04 agosto 2008

Avelã Rum Canela Chocolate Café

Na sexta-feira, depois de ter visto o bolo de maçã e nozes com creme de caramelo da samma, cheguei a casa com uma vontade terrível de comer uma fatia daquele bolo. Claro que pelo caminho fui logo a pensar em retirar a forma e os ingredientes do armário, se tinha ovos suficientes, etc etc. Não pensei nas nozes nem nas maçãs porque normalmente tenho sempre. Mas, quando o desejo é grande há sempre alguma contrariedade, e nozes e maçã era coisa que não não havia em casa.. "Não pode ser!", pensei.. "E agora? Não vou ficar a babar pelo bolo da samma".. A vontade era mais que muita mas o calor era tão abrasador que me decidi ficar por casa e fazer um bolo com o que tinha à mão.

Em cima da bancada já estavam 5 ovos, 150gr açúcar, 180gr farinha, 1 colher chá fermento em pó, 2 colheres sopa de leite, 100gr margarina, 150gr avelãs e 1 colher chá de canela. Mas ainda precisava de mais um sabor diferente. Lembrei-me de um rum anejo que trouxe de Cuba - 1 chávena de café mal cheia. Ok, agora sim.

(B): Comecei por bater as claras em castelo encaixando a borboleta nas lâminas e programando 5 min, vel 3. Reservei. Lavei e sequei o copo e de seguida piquei as avelãs grosseiramente com uns toques de turbo e reservei. Deitei no copo o açúcar com a margarina e bati durante 5 min, 37º, vel 3. Encaixei depois a borboleta, juntei as gemas, o leite e o rum e programei 5 min, vel 3. Adicionei depois a farinha com o fermento e as avelãs e envolvi 20 segundos na vel 2. Deitei este preparado num recipiente e com a ajuda de uma colher de pau envolvi-lhe delicadamente as claras. Levei ao forno pré-aquecido, numa forma de buraco, durante cerca de 30min a 180º.

(T): Bater as claras em castelo firme e reservar. Picar as avelãs grosseiramente na 1,2,3 ou equivalente e reservar. Derreter a margarina e bater com o açúcar até obetr um creme esbranquiçado e fofo. Juntar as gemas, o leite e o rum e bater mais uns minutos de forma a ficar tudo bem ligado. Com a ajuda de uma colher de pau envolver a farinha já com o fermento e as avelãs. Por fim envolver delicadamente as claras em castelo. Levar a forno pré-aquecido, numa forma de buraco, durante cerca de 30min a 180º.

Ainda meio morno, comi logo uma fatia, tal não era o apetite.. Estava delicioso. Mas claro, como o meu paladar tinha imaginado o sabor do bolo da samma com a cobertura de caramelo, achou logo que lhe faltava qualquer coisa. O que fica bem aqui? Humm.. Uma ganache de chocolate? Fica muito doce.. "E se lhe juntar um café expresso?", pensei. Fiz o teste e ficou mais que aprovado! Provem vocês!

Ganache de chocolate e café

Ingredientes (para cobrir um bolo): 1 pacote de natas, 1 embalagem de pepitas de chocolate culinário Nestlé (180gr), 1 café expresso tirado na hora, chávena cheia
(B): Colocar o pacote de natas no copo e programar 2 min, temp 70º, vel 3. Juntar pelo bocal as pepitas e um minutos depois envolver durante 2 min, temp 37º, vel 3. 30seg antes de terminar o tempo juntar o café pelo bocal.

(T): Levar as natas a lume fraco durante 2/3 minutos. Juntar as pepitas de chocolate e ir mexendo até derreter completamente o chocolate e obter uma mistura homogénea. Apagar o lume e juntar o café expresso. Envolver bem.

No final foi só regar o bolo e, claro está, comê-lo!


"Cheira a queijo na cozinha.. O que estás a inventar agora?"

Pois.. esta pergunta é tipica do marido quando chega perto da hora de jantar e entra na cozinha. Vem logo espreitar os tachos ou a Bimby e tentar desvendar o que por ali arquitecto mas raramente acerta porque eu nunca faço um prato igual. Verdade! Posso fazer várias vezes o mesmo prato mas nunca da mesma forma nem com os mesmos temperos.. Há sempre qualquer coisa diferente. Acho que desta forma um dia vou encontrar a fórmula mágica para cada um deles.. ou talvez não porque "cada um sai sempre melhor que o outro", diz o marido no final da refeição. "E agora diz-me lá o que comi?", pergunta ele.

Cannelloni de requeijão, rúcola e presunto

Ingredientes (para 8 cannellonis): 120gr de presunto, 30gr de rúcola selvagem, 1 requeijão de seia (ou equivalente), 1 pacote de molho béchamel, 1dl de leite, 1 colher de sopa de azeite, queijo emental ralado para gratinados, sal e pimenta q.b.

(B): Colocar a rúcola e o presunto no copo da Bimby e picar 20seg, vel 5. Descer com uma espátula o que ficou nas paredes do copo. Juntar o azeite e o requeijão e envolver 15 seg, vel 3. Juntar 3 colheres de sopa de molho béchamel, temperar com pimenta e um pouco de sal, caso o presunto não seja muito salgado. Envolver mais 1min, vel 2.

(T): Colocar a rúcola e o presunto na trituradora (a tradicional 1,2,3). Juntar o azeite e o requeijão e envolver pressionando mais 2 vezes. Retirar para um recipiente, juntar 3 colheres de sopa de molho béchamel, temperar com pimenta e um pouco de sal, caso o presunto não seja muito salgado e envolver bem com uma colher.

Rechear os cannellonis com este preparado, dispô-los numa travessa, regá-los com o béchamel previamente misturado com o leite e polvilhar com o queijo. Levar a forno a 180º, pré-aquecido, durante 20/30minutos até o queijo ficar dourado e ligeiramente tostado.
Pode acompanhar com uma salada de alface e rúcola, temperada com molho balsâmico e orégãos secos.

02 agosto 2008

Amêijoas na caçarola

Bem que o título podia ser amêijoas na cataplana, à boa maneira algarvia. Mas, como quem não tem cão caça com gato, usei uma caçarola. E perguntam vocês como é que uma algarvia de gema que ainda por cima gosta de cozinhar não tem uma cataplana? Eu explico, ofereci a minha a uma amiga de longe e ainda não fui comprar outra.. Mas garanto-vos que ficou excelente!

Desde que comecei a colocar as receitas no blog tenho-me deparado com o problema das quantidades dos ingredientes.. É que faço tudo tão a olho que depois é um drama ter que me lembrar das gramas, decilitros e afins! A cabeça aos inta também já não é o que era... mas aqui fica:

Ingredientes (para 3 pessoas): 2 colheres de sopa de chouriço + 2 colheres de sopa de bacon bem picadinhos 1 lombinho de porco 12 camarões 500gr de amêijoas frescas 1 colher sopa polpa de tomate 1 cebola média 1 colher chá de massa de pimentão 1 folha grande de louro 1 chávena de café de vinho branco + 1 de brandy sal, pimenta, azeite e coentros frescos q.b.

(T): Cortar o lombinho em pequenos cubos e temperar, com pelo menos meia hora de antecedência, com a massa de pimentão, sal e pimenta.
Fundear de azeite uma caçarola, dispor a cebola cortada em meias luas finas e deixar alourar um pouco. Juntar o bacon e o chouriço e deixar cozinhar uns 2/3 minutos. Juntar a polpa de tomate, o louro e a carne. Cozinhar durante cerca de 10 minutos com a caçarola tapada. Refrescar com o vinho, mexer bem e tapar de novo e deixar por mais 5 minutos. Rectificar os temperos caso necessário e juntar as amêijoas e os camarões, regar com o brandy e cozinhar durante 12/15 minutos até as amêijoas abrirem e os camarões ficarem cozidos. Ir envolvendo bem de vez em quando para a cozedura ser uniforme. Na hora de servir polvilhar com coentros frescos picados grosseiramente.

01 agosto 2008

Rápido, saboroso e muito fresquinho!!


Esta é daquelas que sai num minuto. O segredo é mesmo a frutinha fresca! E as dicas... ter sede, muita sede!

 
Sumo de melão e melancia

Ingredientes (para cerca de 1lt): 4 talhadas generosas de melão e outras 4 de melancia sem casca nem pevides, 600gr de água, 1 colher de sopa de açúcar amarelo

(B): Colocar tudo no copo da Bimby, programar 1min, vel 5-7-9 e servir!



(T): Colocar tudo no liquidificador e deixar o tempo suficiente até obter o sumo.


São servidos? ; )