28 Janeiro 2009

Coelho à moda de Trás-os-Montes

A sorte parece que não anda mesmo aqui para os meus lados.. Já nem vou contar o que me tem acontecido nos últimos 2 dias senão vocês fugiam todos com medo de que o blogue pudesse transpirar tanto azar e ainda vos contagiasse. : )

Já ajeitei os espanta espíritos e até mudei de sítio o balangandã que a minha mãe me trouxe da Bahía para ver se afugento de vez o mau olhado. Mas como alguém me disse "há males que vêm por bem" e a as boas vibrações vão chegar logo logo! Já dizia Fernando Pessoa: "Pedras no caminho? Guardo-as todas! Um dia vou construir um castelo!"

E para começar nada melhor do que um coelhinho à moda de Trás-os-Montes que se fez num abrir e piscar de olhos e se comeu sem sequer se dar por isso. Aqui vai:


Coelho à moda de Trás-os-Montes

Ingredientes: 1 coelho pequeno, 3 cebolas médias (usei 2), 1 ramo de salsa, 1 colher de chá de sal, pimenta q.b., 100 gr de azeite, 250 gr de vinho branco, 1 colher de sopa de banha

(B): Coloque no copo as cebolas, a salsa e pique 5 seg./vel 5. Retire e reserve. Sem lavar o copo, coloque alternadamente em camadas o coelho, a cebola e a salsa. Tempere com sal e pimenta, regue com azeite, vinho branco, banha e programe 25 min/ 100º/vel colher inversa. Rectifique os temperos e sirva.

Aproveite a faça um arroz branco na varoma enquanto cozinha o coelho. Encha pela metade forminhas de alumínio descartáveis com arroz basmati. Cubra com água deixando um dedo acima do arroz. Tempere com sal ou com outro ingrediente a gosto. Aproveitei e coloquei uma colher de chá da mistura de cebola e salsa em cada uma. No final basta desenformar no prato.


(T): Pique grosseiramente as cebolas e a salsa. Num tacho fundo coloque alternadamente em camadas o coelho, a cebola e a salsa. Tempere com sal e pimenta, regue com azeite, vinho branco e a banha e deixe cozinhar em lume brando durante cerca de 30 minutos. Mexa de vez em quando para cozinhar o coelho de forma uniforme.


Notas:
- Receita retirada do livro "A Bimby na Cozinha Regional Portuguesa";
- Receita do arroz retirada do Fórum Bimby (Irebelo);

- Pode pedir no talho para cortar logo o coelho em pedaços pequenos;
- Pode temperar o coelho umas horas antes a seu gosto pessoal.
- O acompanhamento é a gosto pessoal mas com arroz branco fica óptimo!

25 Janeiro 2009

Pudim de leite condensado

Finalmente cheguei a casa... Foi uma semana e tanto. Muito cansativa por sinal. Não tanto por causa da feira que este ano também se ressentiu com a crise. O número de visitantes diminuiu consideravelmente e apenas o fim-de-semana trouxe algum ânimo à feira. O pior é mesmo o estar longe de casa, as viagens, o fazer e desfazer mala, o carregar e descarregar o material.. Enfim..

E este ano houve azares atrás de azares. Se eu imaginasse tinha levado um garrafão de água benta comigo.. O cartão de crédito profissional tinha terminado a validade em Dezembro e o banco não tinha enviado o novo. Pedi que me trouxessem o novo para Lisboa e quando o fui usar ficou retido na máquina.. Ou seja, no card no money.. Para ajudar às 22h30 no dia antes de começar a feira ligam-me a dizer que só entregavam os brindes que tinha mandado fazer com o pagamento. Ora sem dinheiro... A muito custo resolveu-se e no dia seguinte quando me foram entregar os sacos para guarda-sol que tinha pedido, abro a caixa e saem sacos para guarda-chuva... DVD montado no stand e não funciona.. Estava avariado. Uma pessoa traz um DVD novo. No teste de imagem é o plasma que não está a funcionar correctamente.. Imagem em tons rosa.. Ao fim de 1 hora consegue-se resolver o problema, finalmente. Numa das noites, a caminho do restaurante para jantar e a meio do trajecto de metro, ao mudarmos de linha saimos por engano. O segurança deixa-nos passar para não termos que pagar novo bilhete. Já no metro, somos "atacadas" por um fiscal que nos pede os bilhetes e nos diz que andamos ali ilegais porque o bilhete já não está válido. Quer multar-nos. Explicamos a situação 2,3 4 vezes e ele decide ligar para a estação para confirmar a nossa versão. Parece que alguém do outro lado assume a responsabilidade e livramo-nos da multa. Mas não do insulto... Do metro ao restaurante apanhamos uma molha tremenda... Para não falar do resto porque senão ficava aqui a noite toda..
Mas como atrás de uma tristeza vem sempre uma alegria (o ditado não é assim mas não interessa..) tive a visita de 2 bimbólicas amigas e de 2 blogueiras com quem já "falava" virtualmente mas que passei a conhecer pessoalmente. Obrigada Abelha Maia e Elsa Claro (e respectivas familias) e Canela e Borboleta Africana (e marido) pela vossa visita! Fiquei deveras contente. É óptimo conhecermos as pessoas que estão por detrás dos blogues que habitualmente visitamos e que nos fazem tanta companhia virtual! Agradeço também a todas(os) pelas mensagens que me deixaram aqui no blogue.
Já estava com saudades de voltar à cozinha ainda que não o tenha ainda feito a 100%. Hoje foi apenas uma canjinha para reconfortar o estômago. É engraçado mas sempre que chego a casa depois de algum tempo fora, esta é a minha refeição de eleição.

A receita que vos deixo hoje também não tem segredos nenhuns e penso que toda a gente já a deve ter feito em alguma circunstância. Fiz 2 dias antes de me ir embora para deixar um mimo doce ao marido, que adora pudins! A receita já tenho há imenso tempo mas desta vez para não deixar um ovo solitário no frigo, fiz com 5 ovos. Ficou excelente!




Pudim de leite condensado

Ingredientes: 1 lata de leite condensado, 2 latas de leite meio gordo (medida da lata), 5 ovos
Para o caramelo: 1 chávena de açúcar, 1/2 chávena de água

(T)(B): Coloque todos os ingredientes no liquidificador e bata bem até obter uma mistura homogénea. Na Bimby programar 1 minutos, vel 5. Colocar na forma já "untada" com o caramelo. Leve ao forno em banho-maria durante cerca de 1 hora. Deixe arrefecer e desenforme.

Para fazer o caramelo leve ao lume o açúcar num tacho fundo. Vá mexendo sempre. Quando estiver dourado junte a água quente continuando a mexer por uns minutos. Apague o lume e despeje na forma, untando-a bem.




Notas:
- Podem optar por cozer o pudim na panela de pressão desde que tenham uma forma que caiba lá dentro.
- Para não queimar a parte de cima do pudim aconselho a cobrirem a forma com papel de alumínio nos primeiros 30 minutos de cozedura.
- Se usarem ovos caseiros obtêm uma cor amarelinha como a deste. : )

21 Janeiro 2009

Out of the kitchen

Estou em trabalho na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), na FIL (Parque das Nações) até dia 25 de Janeiro. A cozinha está em stand by mas se tiver um tempinho extra passo por cá com uma receita. Se quiserem visitar-me estou no Pavilhão 1, stand 1B06 - Sotavento Algarvio. Venham até cá e digam-me qualquer coisa!
Bjss

17 Janeiro 2009

Bacalhau com mostarda

Ano novo, costumes novos. Cá em casa a dispensa e o frigo andavam sempre a abarrotar.. Conclusão, quando os prazos de validade terminavam o balde do lixo mais parecia uma mercearia. Este ano resolvi que seria diferente. Vou esgotar a dispensa, o frigorifico e o congelador até à última e só depois vou às compras. Poupo dinheiro e comida porque este mês ainda não joguei nada fora! Até porque eu adoro ir ao supermercado e acabo por ir muito mais que o necessário, acabando sempre por trazer isto e mais isto e mais aquilo.. Pronto, está oficialmente declarado o fim aos gastos desnecessários!

Esta receita retirei de um pequeno livro de receitas de uma marca de bacalhau - Sr. Bacalhau - que já tinha cá em casa há imenso tempo. É muito rápida e muito saborosa. E óptima amiga para aqueles dias em que não há nada programado para jantar ou almoçar.


Bacalhau com mostarda


Ingredientes (para 2/3 pessoas): 2 postas médias de bacalhau, 1/2 chávena de pão ralado (125ml), 2 colheres de sopa de salsa picada, 2 colheres de sopa de mostarda, 1 chávena de leite (250ml), queijo ralado q.b., sal


(T): Coloque as postas de bacalhau demolhadas num tabuleiro de ir ao forno untado com manteiga.
Num recipiente fundo ou no liquidificador misture bem
o pão ralado, a salsa picada, a mostarda e o leite. Cubra as postas de bacalhau com o molho, polvilhe com o queijo ralado e leve ao forno a gratinar (180º, +/- 20 minutos).


(B): Coloque as postas de bacalhau demolhadas num tabuleiro de ir ao forno untado com manteiga. No copo da Bimby coloque o pão ralado, a salsa picada, a mostarda e o leite e misture bem durante 1 min, vel 4. Cubra as postas de bacalhau com o molho, polvilhe com o queijo ralado e leve ao forno a gratinar (180º, +/- 20 minutos).


Notas:
- Se as postas forem muito grandes ou se quiserem fazer maior quantidade basta aumentar as quantidades dos ingredientes para o molho.
- Se o bacalhau for congelado basta retirar do congelador, escaldá-lo em água quente uns minutos e colocar no tabuleiro.
- Podem acompanhar com puré de batata e colocar no tabuleiro (a ladear o bacalhau) antes de levar ao forno.

13 Janeiro 2009

Sopa de arroz, ervilhas (e espinafres)

Pouca conversa que o tempo está frio e o quentinho das mantas já espera por mim. : )

Esta receita é da blue cooking de Novembro. A introdução refere: "ideiais para forrar o estômago, estas sopas são extremamente ricas podendo mesmo substituir uma refeição. Acompanhe-as com um pouco de pão e voiá!" Tá tudo dito. Provem!



Sopa de arroz, ervilhas (e espinafres)

Ingredientes: 2 colheres de sopa de azeite (coloquei 35gr), 2 alhos franceses cortados em fatias (usei 1 grande), 60gr de presunto fino cortado aos bocados, 2 dentes de alho esmagados, 7 chávenas de caldo de legumes (coloquei 1lt), 1 1/4 de chávena de arroz arbório (coloquei 150gr), 1 1/2 chávena de ervilhas (coloquei 100gr), 150gr de espinafres bebé (não usei), 1/3 chávena de salsa picada, sal e pimenta q.b.


(T): Coloque o azeite, o alho francês, o presunto e o alho numa panela grande. Cozinhe em lume médio mexendo por 8 minutos ou até amolecer.
Adicione o caldo, deixe levantar fervura e junte o arroz. Baixe o lume e deixe cozinhar por 20 minutos ou até o arroz estar tenro.
Cozinhe as ervilhas numa panela em água a ferver por 1 minuto (deixei 5 minutos), escorra. Retire a sopa do lume. Junte as ervilhas, os espinafres e a salsa. Tempere a gosto com sal e pimenta e sirva de imediato.


(B): Coloque o azeite, o alho francês, o presunto e os alhos no copo. Programe 7 minutos, 100º, vel 100. Adicione o caldo pelo bocal e programe 20 minutos, 100º, vel colher inversa. Aos 5 minutos acrescente o arroz aos poucos pelo bocal. Entretanto cozinhe as ervilhas numa panela em água a ferver por 1 minuto (deixei 5 minutos), escorra.Junte as ervilhas, os espinafres e a slsa e tempre a gosto com sal e pimenta. Sirva de imediato.


Notas:
- Pode aproveitar para cozer as ervilhas e os espinafres (se usar frescos) na varoma em simultâneo com a sopa, mas como era pouca quantidade cozinhei no fogão as ervilhas.
- Gostei bastante do sabor da sopa sem os espinafres. Fica com um sabor muito suave, caracteristica que lhe seria retirada pelo travo forte do espinafre.
- Coloquei a receita original e entre () as quantidades que usei.

10 Janeiro 2009

Bolo fofo de chocolate


Perdoem-me a ousadia. Eu sei que depois das festas não deveria estar a colocar aqui um bolo de chocolate. Eu própria deveria estar em contenção de calorias mas... um dia não são dias e o pecado de gula bateu bem forte (outra vez..)! O mais estranho é que desta vez o apetite era apenas por este bolo, mais nenhum. A sorte é que antes do Natal tinha ido a casa da minha mãe surrupiar umas teleculinárias antigas. Daquelas que me inspiraram nas minhas primeiras aventuras culinárias e das quais guardo boas recordações.

Este bolo é uma dessas aventuras. A primeira vez que o fiz deveria ter uns 7/8 anos.. Foi o maior bolo que fiz até hoje e lembro-me que na altura delirei com tamanho feito. E acho que foi este bolo o "culpado" pelo gosto de cozinhar. A fonte guardei-a religiosamente e o bolo fofo de chocolate passou a ser habitueé lá em casa. Hoje, muitos anos depois, voltou à cena. Fofo e grande como dantes. Afinal, a arte não era da cozinheira, era mesmo da receita. E assim se ilude uma criança durante anos... ; )


A receita é de uma teleculinária e doçaria de 1978, mais velha que eu precisamente um mês e um dia.




Bolo fofo de chocolate


Ingredientes: 6 ovos, 75gr de chocolate em pó, 1 dl de água quente, 250gr de farinha, 300gr de aúcar, 3 colheres de chá de fermento em pó, 1 colher de café de sal fino, 1dl de óleo, 1 colher de sopa de açúcar para as claras, margarina para untar a forma


(T): Dissolva o chocolate com a água quente e deixe arrefecer. Num recipiente fundo misture muito bem a farinha e o açúcar e abra-lhes uma cavidade ao centro. Nessa cavidade deite as gemas, a mistura de chocolate e água, o óleo, o sal e o fermento em pó. Misture tudo muito bem e depois bata muito bem com varas (batedeira) ou colher de pau, 8 a 10 minutos.


À parte bata as claras em castelo bem firme, adicionando-lhes, quase no fim, uma colher de açúcar para fcarem bem seguras. Ligue-as cuidadosamente ao preparado anterior mexendo de baixo para cima, devagar, com ajuda de uma colher de pau, até tudo ficar bem misturado. Unte abundantemente a forma com a margarina, deite-lhe dentro o preparado, alise e leve a cozer em forno moderado (170º/180º) durante cerca de 1 hora.


Durante a cozedura não convém abrir muitas vezes o forno nem bater com a porta, principalmente na primeira meia hora. Se tiver que abrir faça-o com o máximo cuidado. Verifique se está cozido espetando-lhe um palito e retire do forno. Deixe arrefecer e desenforme.


Cobri com uma ganache de chocolate simples: levar 150ml de natas a lume fraco durante 2/3 minutos até ferver. Juntar 150gr de chocolate negro e ir mexendo até derreter completamente o chocolate e obter uma mistura homogénea. Deixar arrefecer ligeiramente e cobrir o bolo.

Notas:
- Este bolo deve ser feito em forma de buraco alta ou então em duas formas. Eu usei uma forma de 10cm de altura e ele cresceu 2cm acima, descendo depois ao arrefecer 3,5cm (ver foto acima).
- Fica um bolo extremamente fofo e não muito doce, óptimo para acompanhar um chá.

08 Janeiro 2009

Maçã do pecado ou... do paraiso??

Este é um dos pecados que adoro cometer. E daqueles que não deixa remorsos na alma! Sim porque apesar de ser uma maçã, não deixa de ter açúcar.. Mas valha-nos o ditado "uma maçã por dia dá uma vida sadia" e troquemos uma destas por uma das que vos deixo. ; )




Maçãs assadas com vinho do porto

Ingredientes (para 2 pessoas): 2 maçãs reineta, 2 paus de canela, 1/2 chávena de chá de água, 1 chávena de chá de vinho do Porto, 1/2 chávena de chá de açúcar amarelo

(T): Descaroçar as mação e dar-lhes uns golpes laterais no sentido horizontal. Colocá-las numa travessa de ir ao forno. Introduzir o pau de canela no orificio deixado pelo caroço. Diluir o açúcar na água e deitar por cima da maçã. Regar com o vinho do Porto e levar ao forno a 180º durante 15 a 20 minutos.

Pecado acho que é mesmo não comer.. ; )

Notas:
- Os golpes laterais na maçã vão permitir que a pele rasgue e a maçã asse melhor.

05 Janeiro 2009

Bagels

Até testar esta receita e escrever este post quase que tirei um mestrado em bagels. Faz tempo que procuro uma receita que me agrade uma vez que só os consigo comer uma vez por ano quando vou a NY. Nunca tinha testado nenhuma embora tenha umas dezenas arquivadas. Descobri que o básico roll-with-a-hole faz correr muita tinta (e muito dinheiro) e até já deu título a um livro. Reza a história que foram trazidos para a América por imigrantes judeus da Europa do Leste. Hoje os bagels constituem parte do pequeno-almoço ou lanche de milhares de americanos.

Um típico Bagel tem menos de 200 calorias e é pobre em gordura e colesterol. Os ingredientes básicos geralmente incluem apenas farinha, água e fermento, ainda que existam dezenas de receitas mais encorpadas. Os segredos não são muitos mas é o banho em água fervente antes de irem ao forno que lhes grante o exterior crocante, a cor, o brilho e a fantástica textura interior.


Os meus preferidos são sem dúvida os de sementes de sésamo e de papoila. Gosto deles ligeiramente torrados e com manteiga apenas. Já o americano cá de casa prefere com cream cheese..


Das receitas que encontrei, algumas até feitas com o método da massa esponja, gostei muito desta que retirei daqui (principalmente por ser feita na mfp). Não é a básica receita de bagels, já que leva ovos e óleo na sua composição. Achei que ficaram muito semelhantes aos que habitualmente como em NY. Não tão estaladiços por fora mas com um interior bem consistente. E aquecidos ligeiramente na torradeira ficam irresistíveis!



Bagels

Ingredientes (para 8 bagels): 250ml de água, 2 colheres de café de sal, 1 ovo batido, 2 colheres de café de óleo de amendoim (usei de girasol), 500gr de farinha, 7gr de levedura (usei seca), 1 clara de ovo, sementes a gosto (usei papoila e sésamo)

(MFP): Colocar todos os ingredientes na máquina de fazer pão e seleccionar o programa de amassar. No final do tempo retirar para a bancada e desgaseificar. Formar um rolo e cortar a massa em 7 partes iguais (na receita diz 12 mas a mim deu-me 7) e dar-lhes a forma de uma bola ligieramente achatada. Com o dedo indicador enfarinhado abrir um buraco a meio de cada bola (abra bem o buraco de modo a não se fechar na cozedura). Deixar repousar por 15 minutos.


Pré-aquecer o forno a 200º. Ferver água num tacho largo. Colocar dentro 2/3 bagels de cada vez e deixá-los durante 30 segundos de cada lado. Retirar com uma escumadeira e colocar no tabuleiro de forno sobre uma folha de papel vegetal. Pincelar com a clara do ovo e salpicar com as sementes a gosto. Deixar cozer durante cerca de 20 minutos.


Notas:
- Convém estar perto da máquina enquanto ela amassa uma vez que a massa é bastante densa e causa alguma trepidação;
- Pode optar por congelar alguns bagels, devendo para o efeito abri-los ao meio e colocá-los num saco bem fechado. Depois basta retirá-los, colocá-los na torradeira um pouco mais de tempo que o habitual e estão no ponto!


Boa semana!

03 Janeiro 2009

Embrulho de espinafres com puré de couve-flor

Começar o ano com um quilo e meio a mais não é bom augúrio.. Mas as festas dão nisto e longe de mim privar-me daquelas iguarias que só se comem uma vez por ano! E estão aí 365 dias para repor calorias e energias. Mas é certo que depois dos excessos também vem a vontade e necessidade de fazer refeições mais leves. O estômago ressente-se e apela aos pratinhos mais saudáveis.

A sugestão de hoje vem da revista Blue Cooking de Novembro. A receita orginal tem o nome de Embrulho de espinafres com radiatori, mozzarella e cogumelos. Alterei quantidades, ingredientes e modo de preparação, mudei-lhe o nome e acompanhei com um excelente puré de couve-flor que adaptei da Blue Cooking de Dezembro (não, garanto que não tenho o patrocínio deles ; ) ).

Querem provar?



Embrulho de espinafres com puré de couve-flor

Ingredientes (para 2/3 pessoas): 1 molho de espinafres (só as folhas), 150gr de massa fusilli ou outra (na receita original usaram radiatori), 2 dentes de alho picados, 1 lata média de cogumelos laminados (podem ser usados frescos), 2 tomates médios maduros, 1 colher de sopa de bacon em cubinhos, 40gr de azeite, 100gr de queijo mozarella (fresco ou ralado), sal, pimenta preta moída e mistura de ervas aromáticas a gosto

Para o puré: 1/2 cabeça de 1 couve-flor média, 20gr de manteiga sem sal, 2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado


(T): Cozer a vapor as folhas de espinafres até estarem macias. Cozer ao mesmo tempo a couve-flor partida em pequenos pedacinhos. Reservar.
Fazer um refogado com o azeite e o alho. Adicionar o tomate, os cogumelos e o bacon. Temperar com o sal, a pimenta e as ervas e deixar cozinhar durante aproximadamente 15 minutos.

Cozer entretanto a massa numa panela com uma pitada de sal e um fio de azeite. Escorrer e reservar.

Juntar este preparado à massa e envolver bem. Adicionar o quejo e envolver. Forrar duas pequenas formas com as folhas de espinafres, deixando algumas pontas de fora. Encher as formas com o preparado da massa, fechar com as pontas e voltar a cobrir com mais folhas de espinafres. Reservar.

Para o puré junte a manteiga à couve-flor e esmague bem. Lve a lume baixo e vá mexendo durante 2/3 minutos. Retire do lume, junte o queijo e envolva bem. Desenformar o embrulho de espinafres e acompanhar com o puré.


(B): Colocar água até meio do copo. Juntar sal a gosto e um fio de azeite. Encaixar o cesto e colocar dentro a massa. Montar a varoma e colocar a couve-flor partida em pedacinhos pequenos. No tabuleiro dispor as folhas de espinafres bem lavadas. Programar 20 min, temp varoma, vel 4. No final do tempo, escorrer a massa e reservar, bem como os espinafres e a couve-flor. Pelar o tomate e cortar em cubos pequenos. Colocar o azeite e o alho no copo e programar 3 min, 100º, vel colher. Juntar os cogumelos, o tomate, o bacon. Temperar a gosto com o sal, a pimenta preta moida e as ervas aromáticas e programar 12 min, 100º, vel 1 inversa.

Juntar este preparado à massa e envolver bem. Adicionar o quejo e envolver. Forre duas pequenas formas com as folhas de espinafres, deixando algumas pontas de fora. Encha as formas com o preparado da massa e volte a cobrir com mais folhas de espinafres. Reserve.

Fazer entretanto o puré colocando os troncos de couve-flor no copo com a manteiga. Dar 2 toques de turbo e programar 3 min, 37º, vel 2. Adicionar o queijo e triturar tudo 10 seg, vel 5. Desenformar o embrulho de espinafres e acompanhar com o puré.


Antes de terminar o post, quero dizer-vos que agora passo a visitar-vos directamente no meu novo companheiro de cozinha, o Eee Pc. Foi o presente de Natal do marido que se cansou de me ver escada acima, escada abaixo e me ofereceu este portátil que é mais pequeno que uma folha A4. Digno computador de bolso mesmo! : )

Não me esqueci de modo algum dos selinhos que me foram passados pela Isabelocas - Pantagruela, pela Isabel - O meu cantinho especial, pela Mari - Mari´s Kitchen e pela Susana - Menos Calorias, Mais Vida!. Aqui ficam agradecidos e dedicados a todos os blogs que visito habitualmente!