27 Janeiro 2010

Camarão com whisky e laranja

Esta segunda-feira, numa ida ao centro comercial, observei uma cena que me deliciou enquanto mulher e mãe. Um casal com três filhas pequenas chegava à zona de restauração para jantar. As miúdas não teriam mais que um ou dois anos de diferença entre elas. A maiorzita deveria ter à volta dos 4/5, a do meio talvez uns 3 e a mais pequenita talvez quase 2. Escolheram uma mesa redonda e o pai sentou-as cada uma na sua cadeira (as mais pequenas numa cadeira de bebé do centro) enquanto a mãe foi buscar uma sopa. Chegou à mesa com uma tigela de sopa, uma colher e três copos de plástico. Dividiu a sopa pelos três copos e colocou cada um deles na frente das filhas. Enquanto isso o pai foi buscar frango com batatas e maçarocas de milho a um desses fast food. O pai chega à mesa e a mãe sai para ir buscar jantar para eles pertinho da mesa para conseguir ir dando apoio enquanto espera. As miúdas bebem sozinhas a sopa pelo copo enquanto o pai divide as pernas de frango e as batatas pelos três pratos de papel que trouxe. Coloca em frente a cada uma os pratos e os copos com água e cada uma agarra a sua perna de frango. Ao mesmo tempo a mãe chega com o tabuleiro e jantam os 5 ao mesmo tempo. O mais giro foi ver a do meio comer parte da maçaroca e estender o resto à irmã e depois esta ainda oferecer o restante à irmã mais velha. Tão pequeninas e tão organizadas e independentes. Adorei a capacidade de organização, encaixe e paciência e acima de tudo a cumplicidade do casal e a disciplina das pequenas.

Mudando de assunto, a receita que vos deixo hoje não tem segredos e decerto que, com um ingrediente a mais ou a menos, já passou pelas vossas cozinhas. Eu aliás baseei-me em algumas que fui espreitando em blogs como os da Ameixa, da Anna ou da Luisa. A mistura de ingredientes resulta de facto muito bem e os camarões ficam terrivelmente bons.


Camarão com whisky e laranja

Ingredientes: 1 kg de camarão de Moçambique tamanho médio, 8 dentes de alho, 2 folhas de louro, 1 colher de café de sementes de mostarda, 1 cálice de whisky, sumo de 1 laranja pequena, manteiga, azeite, sal e pimenta preta moída q.b.

(T): Retire a casca dos camarões deixando a cabeça. Abra-os ao meio pelo dorso e retire a tripa preta. Disponha-os num refractário de barro pingado de azeite. Pique os dentes de alho o mais fino que conseguir, parta as folhas de louro em bocadinhos e salpique os camarões com eles e com as sementes de mostarda. Tempere com sal e pimenta preta moída na hora. Regue com o whisky e o sumo de laranja. Disponha por cima nozes de manteiga e leve ao forno pré-aquecido a 180º durante cerca de 20 minutos.



Notas:
- Pode substituir a laranja por limão;
- Se for apreciador adicione uma malagueta partida em bocadinhos.

25 Janeiro 2010

Bolinhos de canela

Não sei vos acontece o mesmo mas este tempinho ingrato de chuva e frio deixa-me cansada, aborrecida e com uma inércia tamanha. Há fins-de-semana que nem saio de casa.. Nestas alturas sinto tanto a falta do Verão.. Sinto a falta da energia do sol, do calor, do mar e até da boa disposição das pessoas que por esta altura andam enfadonhas (como eu, eheheh). Eu sei, detesto o Inverno. Torno-me seca e fria como os dias e não gosto de me sentir assim. Céu limpo, brisa quente e sol a brilhar garantem-me um sorriso daqueles e uma boa disposição tremenda. Mas.. uns bolinhos destes também! Experimentem e confirmem!

Boa semana!


Bolinhos de canela

Ingredientes: 125gr de manteiga, 1 ovo, 80gr de açúcar mascavado (100gr de açúcar branco na receita original), 300gr de farinha, canela em pó q.b.

(B): Colocar os ingredientes (excepto a canela) no copo pela ordem indicada e programar 30 seg na vel 6. Moldar bolinhos redondos e passá-los pela canela (rolar de modo a fiquem todos cobertos pela canela). Colocam-se num tabuleiro e vão ao forno pré-aquecido a 180º, durante cerca de 10/15 minutos. Deixar arrefecer fora do forno.

(T): Numa tigela mistura-se o açúcar com a manteiga, o ovo e a farinha.
Moldar bolinhos redondos e passá-los pela canela (rolar de modo a fiquem todos cobertos pela canela). Colocam-se num tabuleiro e vão ao forno pré-aquecido a 180º, durante cerca de 10/15 minutos. Deixar arrefecer fora do forno.

Notas:- Receita adaptada desta com alteração na quantidade e tipo de açúcar;
- Rende cerca de 20 bolinhos.

21 Janeiro 2010

Tacho na mesa com caldeirada de anchova

Ao fim-de-semana nada melhor que um peixe fresco na mesa. O facto de viver junto ao mar permite-me ter acesso ao peixe fresco todos os dias. Vivo numa terra que durante séculos teve na pesca uma das mais importantes actividades, destacando-se a pesca do atum que foi um dos pilares fundamentais da economia das populações de um nível social mais baixo. Mas sobre a pesca do atum falarei num outro post já que merece uma atenção especial.

A receita que vos deixo hoje pode ser confeccionada com outro(s) peixe(s), marisco e moluscos. Fica ao gosto de cada um. Eu não tenho preferências e se me puserem à frente uma caldeirada de bacalhau, peixe e marisco, enguias (etc), a dificuldade é mesmo conseguir comer um pouco de cada para não ter que escolher apenas uma. Aqui fica uma das habituais aqui em casa.


Caldeirada de anchova

Ingredientes: 1 anchova média arranjada e partida em postas, 4 batatas grandes, 2 cebolas médias, 2 dentes de alho, 3 tomates médios, 1 pimento verde pequeno, 1 ramo de salsa, 1 folha de louro, 1,5dl de vinho branco, 2 colheres de sopa de molho de tomate, azeite, sal, pimenta preta e colorau q.b.

(T): Corte as cebolas, o tomate e o pimento em rodelas. Cubra o fundo de um tacho largo com azeite e disponha por cima parte das rodelas de cebola, dos tomates, do pimento, os dentes de alho laminados, a folha de louro e metade do ramo de salsa. Disponha por cima as batatas também em rodelas grossas e por cima destas as postas do peixe. Cubra com a restante cebola, tomate, pimento e salsa. Dilua o tomate no vinho e deite por cima. Tempere com sal e pimenta e deixe cozinhar por cerca de 30 minutos (verifique com um garfo se as batatas estão cozidas). Sirva no tacho.


Notas:
- Não mexa a caldeirada enquanto cozinha, agite apenas o tacho uma ou duas vezes se necessário;
- Leve o tacho à mesa e deixe-o tapado até servir.

18 Janeiro 2010

Pizza de carpaccio de salmão

Os jantares de Domingo cá em casa continuam a ser de pizza. Variamos a guarnição mas mantemos a base e o molho de tomate que nos conquistaram desde que os testámos. Não têm segredos nem técnicas especiais e são de confecção rápida e simples. A base fica extretamente estaladiça e o sabor.. querem mesmo saber? Experimentem! : )

Esta receita vai ficar também guardada no separador dos básicos já que contém três receitas base para massa de pizza, molho de tomate e tempero de limão.

Boa semana!


Pizza de carpaccio de salmão

Ingredientes para a massa (para uma pizza de 20cm diâmetro): 1 colher de chá de fermento seco, 1 colher de chá de sal, 100ml de água morna, 2 colheres de chá de azeite, 160g de farinha simples peneirada

Ingredientes para o molho base: 250ml de tomates picados em conserva, 1 mão-cheia de folhas de orégãos frescos ou manjericão

Ingredientes para a guarnição : 1 cebola vermelha pequena, cortada em rodelas de 5mm, 250ml de óleo de grainha de uva (usei de milho), 2 colheres de sopa de alcaparras em salmoura, escorridas (não usei), farinha de semolina para polvilhar (usei sêmola de milho), 2 colheres de sopa de salsa picada, 75gr de queijo mozzarela ralado, 120gr de filetes de salmão (usei fumado) cortados em fatias muito finas (ver notas), 2 colheres de sopa de queijo mascarpone (usei queijo creme), 1 mão-cheia de agrião, tempero de limão (1 colher de sopa de limão com duas colheres de sopa de azeite), 1 colher de sopa de caviar (não usei)

Prepare a massa: Ponha o fermento, o sal e a água morna numa tigela pequena e mexa até os elementos estarem ligados. Vá deitando o azeite gradualmente à medida que vai mexendo e deixe depois repousar num sítio quente durante 10 minutos. Junte a farinha e amasse durante 15 minutos ou até a massa estar lisa e elástica. Deixe a massa descansar numa tigela ligeiramente untada com azeite e tapada com um pano, até duplicar de volume (1 a 1h30). Sove a massa para retirar o ar. Tape a massa e deixe-a levedar por mais 15 minutos.
(mfp): Para preparar a massa na máquina de pão coloque todos os ingredientes na cuba pela ordem indicada e seleccione o programa massa deixando-o prosseguir até ao final.

Prepare o molho: Ponha os tomates e os orégãos ou manjericão num liquidificador, tempere a gosto e pique até estar bem homogéneo.

Prepare o tempero de limão: Deite o sumo de limão e o azeite num pequeno frasco com tampa, tempere a gosto com sal e pimenta moída na hora e agite bem até ter os ingredientes bem misturados.

(T): Coloque a pedra para pizza ou tabuleiro no forno e pré-aqueça a 250º. Pincele levemente as rodelas de cebola com o óleo e grelhe-as num grelhador de chapa em lume médio, durante 5 ou 6 minutos.
Aqueça o óleo num frigideira e frite as alcaparras durante 1 a 2 minutos ou até estarem estaladiças. Tire-as com uma escumadeira e escorra-as em papel de cozinha.
Polvilhe ligeiramente a superfície de trabalho com a semolina e estenda a massa numa circunferência com 30cm de diâmetro. Passe-a para o tabuleiro e pique toda a superfície com um garfo. Barre a base com o molho de pizza, espalhe a salsa picada, as cebolas grelhadas e o mozzarela por essa ordem. Passe para o tabuleiro ou pedra de pizza aquecidos e asse durante 5 a 8 minutos ou até estar dourada e estaladiça.Tire do forno, cubra com as fatias do salmão, as alcaparras fritas e pequenas colheradas de mascarpone. Tempere o agrião com o tempero de limão, espalhe por cima da pizza e polvilhe com o caviar antes de servir.


Notas:
- Se não conseguir fatiar o salmão muito fino, ponha as fatias entre duas folhas de papel vegetal e passe delicadamente com o rolo da massa;
- O molho de tomate pode ser guardado no frigorífico até 5 dias e congelado até 3 meses (não aconselho porque após descongelar fica com muita água);
- A massa pode ser guardada de um dia para o outro no frigorífico ou congelada envolta em película aderente;
- Receita adaptada nos ingredientes do livro Pizzas de John Lanzafame.

15 Janeiro 2010

Tarte de espinafres e queijo de ovelha

Depois da receita da massa quebrada vem agora um sugestão para utilização da mesma. O queijo e os espinafres combinam perfeitamente com o leve sabor a mostarda e pimenta da massa. Perfeita para acompanhar uma sopa bem quentinha já que o frio teima em não arredar pé.

Bom fim-de-semana!

Tarte de espinafres e queijo de ovelha

Ingredientes: 1 base de massa quebrada com mostarda e pimenta, 2 mãos cheias de espinafres frescos, 3 colheres de sopa de queijo de ovelha curado amanteigado, 1 colher de sopa de bacon em cubos, 3 ovos, 1,5dl de leite (ou natas), azeite, sal e pimenta preta q.b.

(T): Salteie o bacon num fio de azeite. Junte os espinafres e cozinhe mais uns minutos. Bata os ovos com o leite. Junte o queijo e bata ligeiramente. Tempere com o sal e a pimenta.
Forre uma tarteira com a base de massa quebrada, pique-a com um garfo e deite sobre a mesma o recheio de espinafres e queijo. Leve ao forno pré-aquecido a 180º durante cerca de 15 minutos.


Notas:
- Quanto mais fina ficar a base de massa mais estaladiça ficará depois de cozida;
- Pode substituir os espinafres por agriões frescos.

10 Janeiro 2010

Massa quebrada com pimenta e mostarda

Nos tempos que correm as ofertas de produtos gastronómicos prontos a consumir inundam os supermercados. Vão desde as refeições pré-preparadas, às massas frescas, sobremesas, acompanhamentos.. E cada vez mais surgirão novos produtos que vão de encontro às necessidades imediatas dos consumidores que no dia-a-dia contra-relógio de muitos surgem como uma solução para a falta de tempo e paciência. Há quem os defenda, há quem os condene. Ideologias à parte, há alguns destes produtos que são realmente uma ajuda na preparação de uma refeição, principalmente se os tivermos já em casa. Mas é um facto que podemos ter estes mesmo produtos preparados em casa mas, por nós. Uns minutos permitem preparar alguns básicos que, quando devidamente conservados, estão sempre prontos a ser consumidos. As vantagens são muitas e além de poupar no tempo, a ausência de corantes, conservantes e afins jogam a nosso favor.

A sugestão que vos deixo serve de base a tartes doces e salgadas, faz-se em minutos e fica pronta a consumir ou a conservar no frio.

Boa semana!


Massa quebrada com pimenta e mostarda

Ingredientes (para 2 tartes): 2 chávenas de farinha sem fermento, 125gr de manteiga fria cortada em pedaços, água gelada, 1 colher de chá de pimenta preta moída na hora, 2 colheres de sopa de mostarda sementes

(T) (B): Coloque a farinha e a manteiga numa misturadora ou robot de cozinha (na Bimby, 15 seg vel 5) e bata até se formarem grumos grosseiros (pode fazer esta operação á mão misturando a manteiga com a farinha com as pontas dos dedos). Acrescente a água gelada até obter uma massa suave. Junte a pimenta e a mostarda e amasse até incorporar. Retire-a da máquina e amasse ligeiramente. Para evitar que a massa encolha durante a cozedura, embrulhe-a e película aderente e leve-a ao frigorífico durante 30 minutos antes de a estender.
Estenda a massa numa superfície polvilhada com farinha até obter uma espessura de 2 a 3mm. Forre a forma com a massa sem a esticar. Coloque recheio a gosto e leve ao forno a 180º por 15-20 minutos.

Para cozer sem recheio pique a base e os lados com um garfo. Cubra com papel vegetal antiaderente e encha a forma com pesos de cozinha (ou feijões secos). Leve a forno pré-aquecido a 190º. Deixe no forno durante 5 minutos. Retire os pesos e o papel e volte a levar ao forno até a massa estar ligeiramente dourada.

Notas:
- Pode conservar a massa durante 3 dias no frigorifico, num recipiente hermeticamente fechado ou até três mses no congelador embrulhada em película aderente (no caso da base cozinhada sem recheio);
- Pode congelar a massa antes de cozinhar enrolada em papel vegetal depois de esticada e embrulhada posteriormente em película aderente;
- Receita do livro Cozinha Rápida da Donna Hay.

Dicas:
- Para a massa quebrada tradicional omita a pimenta e a mostarda;
- Esta base é indicada para recheios de sabor acentuado como legumes e queijo.

06 Janeiro 2010

Risotto tinto de polvo

Hoje é dia de Reis e apesar de não o celebrarmos (cultural e gastronomicamente falando), fazemos questão de manter uma tradição que se repete todos os anos neste dia. Abrimos uma romã e retiramos 9 sementes por cada um pedindo aos três Reis Magos saúde, amor, paz, dinheiro. Comemos as sementes e guardamos a coroa da romã que servirá de amuleto durante o ano que se inicia. Há ainda quem guarde três das nove sementes, num saquinho ou num papel, dentro da carteira para nunca faltar dinheiro.

Lá em casa este dia dá ainda ordem para que se guardem todos os enfeites natalícios.. Portanto, este fim-de-semana temos programa.. Boa semana!


Risotto tinto de polvo
Ingredientes: 1 ½ copo de arroz para risotto ou carolino, 1 copo de vinho tinto de boa qualidade, 1 polvo médio (cerca de 1kg), 1 cebola, 1 cebola roxa, 1 dente de alho, ½ pimento vermelho (pequeno), aproximadamente 1lt do caldo de cozedura do polvo, coentros frescos, azeite, sal e pimenta q.b.

(T): Bata o polvo e leve-o a cozer numa panela com água e uma cebola inteira. No final da cozedura coe a água para um recipiente e mantenha-o quente. Corte o polvo em pequenos pedaços e reserve.
Cubra o fundo de um tacho com o azeite e refogue nele a cebola roxa picada e o dente de alho. Junte o pimento picado grosseiramente e cozinhe até a cebola ficar translúcida. Junte o arroz e envolva bem. Junte o vinho tinto e deixe-o evaporar um pouco. Vá adicionando o caldo aos poucos, mexendo sempre e deixando o arroz absorvê-lo antes de adicionar mais caldo. Deixe o arroz cozinhar durante cerca de 15/20 minutos. Tempere com sal e pimenta. Uns minutos antes de terminar o tempo junte o polvo em pedaços. Envolva, apague o fogo e tape o tacho.Deixe sempre o risotto mais líquido pois o arroz continua absorvendo o liquido. Polvilhe com os coentros frescos picados na hora e sirva imediatamente.

(B): Bata o polvo e leve-o a cozer numa panela com água e uma cebola inteira. No final da cozedura coe a água para um recipiente e mantenha-o quente. Corte o polvo em pequenos pedaços e reserve.
Coloque no copo a cebola roxa e o dente de alho e pique 5 seg na vel 5. Junte o azeite e o pimento picado grosseiramente e refogue 4 min, 100º, vel 1. Encaixe a borboleta. Programe 18 min, 100º, vel colher inversa. Deite o arroz. Aos 17 min junte o vinho tinto e deixe evaporar. Vá adicionando o restante caldo aos poucos deixando o arroz absorvê-lo antes de adicionar mais caldo. Tempere com sal e pimenta. Uns minutos antes de terminar o tempo junte o polvo em pedaços, envolva com a espátula e deixe repousar uns minutos.Deixe sempre o risotto mais líquido pois o arroz continua absorvendo o liquido. Polvilhe com os coentros frescos picados na hora e sirva imediatamente.





Notas:
- Use um vinho tinto de boa qualidade sob pena de não obter um bom resultado final;
- Se não for do seu gosto pessoal pode omitir o pimento ou substituí-lo por um tomate maduro limpo de pele e sementes.

03 Janeiro 2010

Magret de pato com Porto e ameixas secas

Hei-nos a começar um novo ano que desejo seja melhor para todos. 2009 não foi um ano fácil e apesar das tristezas que trouxe a tanta gente, certamente também ficou marcado por muitas alegrias e momentos felizes. E são esses que devemos recordar.. 2009 marcou o 1.º ano deste blogue e, para já, apenas anseio por chegar ao segundo aniversário e poder comemorá-lo com todos vós que aqui chegam diariamente e que se fazem notar em comentários, e-mail’s, links ou em visitas silenciosas que movimentam o contador de visitas e que me deixam de sorriso nos lábios por sentir que a partilha destas experiências vale a pena.

A todos vós um 2010 pleno saúde, amor, felicidade e muitas concretizações pessoais!


Magret de pato com Porto e ameixas secas

Ingredientes: 2 magret de pato, 1 copo de Vinho do Porto, 1 colher de sopa de mel, 1 colher de sopa de vinagre balsâmico, 8 ameixas secas descaroçadas e cortadas em metades, sal e pimenta q.b.

(T): Com uma faca afiada fazer uns cortes paralelos na pele do magret e depois cruzados de forma a obter uns losangos. Temperar com sal e pimenta e reservar algum tempo antes de os cozinhar. Entretanto colocar o vinho do Porto numa panela e deixar reduzir para metade. Reserve. Colocar o magret numa frigideira larga com a pele voltada para baixo e deixar que solte toda a gordura (solta muita gordura assim que não é necessário colocar nada de óleo nem azeite). Dê a volta ao magret e deixe cozinhar por uns minutos.
Retire o magret para um prato e junte à gordura o vinho do Porto, o mel, o vinagre balsâmico e as ameixas. Baixar um pouco o fogo e deixar reduzir o molho.
Volte a colocar o magret na frigideira e deixe-o cozinhar de ambos os lados uns minutos. Retire-os do lume, corte-os em fatias e regue-os com o molho. Sirva de imediato.


Notas:
- O magret deve ficar mal passado por dentro no entanto, e como se destinava também a crianças, optei por deixar cozinhar bem. Sugiro que o cozinhe a gosto pessoal;
- Receita adaptada desta da Alegna.