28 fevereiro 2012

Bonito em cebolada de pimento vermelho e laranja

Laranja e vermelho. São as duas cores que me fazem sempre lembrar o seu blogue. Laranja pelo nome, quase por certo. Vermelho, aposto que pela paixão que a move neste mundo de sabores. Não sei.. Laranja e vermelho por serem duas cores quentes que associo ao Inverno, estação do ano em que se comemora o aniversário. Será? Ou será por aquelas suas famosas pataniscas de bacalhau de cor alaranjada com pimento vermelho? De facto, esta associação intuitiva de cores ao blogue pode ter muitas interpretações.

Curioso é que durante a semana, ao pensar no desafio lançado para celebrar os 6 anos do blogue, surgiram-me dezenas de ideias, praticamente todas em tons de laranja e vermelho. Pensei num bolo de batata-doce e laranja, numa compota de beterraba e laranja, nuns scones de arandos vermelhos e laranja…
A escolha estava difícil e a salvação encontrei-a numas postas de bonito fresco que me foram oferecidas. O seu destino estava escrito a laranja e vermelho, com uma aromática cama de cebola, pimento vermelho e laranja. Bem a preceito deste aniversário.

Parabéns ao fantástico Cinco Quartos de Laranja pelos 6 anos de vida! Que celebremos muitos mais assim, Laranjinha!


Photobucket
Bonito em cebolada de pimento vermelho e laranja

Ingredientes (para 2 pessoas):

2 postas de bonito fresco
1 cebola grande
2 dentes de alho
½ pimento vermelho
¼ chávena de sumo de laranja
¼ chávena de vinho branco
1 colher café de sementes de coentros
2 hastes de orégãos secos
1 colher chá gomásio
Azeite e água q.b.

(T): Cubra o fundo de um tacho com azeite. Sele as postas do peixe de ambos os lados e reserve. Junte ao azeite a cebola cortada em meias luas finas e o alho laminado e cozinhe até a cebola ficar macia. Junte o pimento cortado em tiras, o sumo de laranja, as hastes de orégãos e as sementes de coentros. Cozinhe por uns minutos. Junte o vinho e a água (apenas para cobrir a cebolada), tape o tacho e deixe cozinhar uns minutos. Coloque o atum sobre a cebolada, tempere com o gomásio e cozinhe em lume brando durante cerca de 15 minutos, com o tacho tapado.

Photobucket

24 fevereiro 2012

Tarte tatin de maçã. aromática...

Há sabores que não se esquecem e que se recordam sempre quando se fala num dos seus ingredientes. Neste caso, maçã. E é por demais evidente a minha paixão por bolos de maçã. Mas não me perguntem porquê. Não é sequer um sabor de infância, não me lembro de alguma vez a minha mãe, avó ou tia fazer um bolo de maçã.

As receitas de outros bolos de maçã vão-se acumulando mas são raras as que saem do papel. Se me apetece bolo de maçã faço quase sempre o(s) mesmo(s). Especialmente o último aqui publicado que tanto me surpreendeu. Hoje, ao preparar a tatin para o projecto Dorie às Sextas, lembrei-me novamente dele. E enquanto a manteiga derretia ao lume o olfacto da minha memória rapidamente me levou à garrafa de rum e ao extrato de baunilha. O caramelo borbulhava num aroma tão intenso que contei todos os minutos para a tirar do forno e a provar ainda quente. Não me enganei. Ficou absolutamente deliciosa! (ou não tivesse a inspiração vindo também da Dorie..)
Segue abaixo a receita original com as alterações que fiz entre ().

Photobucket
   

Tarte tatin de maçã aromática

Ingredientes:

1 embalagem de massa folhada fresca (usei caseira que fiz no dia anterior*)
6 maçãs médias (ou 8 pequenas), doces mas firmes (usei 2 maçãs reinetas médias)
110g de manteiga (coloquei 70g)
¾ medida de açúcar (coloquei 80g)

Ingredientes extra à receita:

1 colher de sopa de rum escuro
½ colher chá extracto de baunilha caseiro
1 colher café de canela

Pré-aqueça o forno a 190º. Descasque as maçãs e corte-as em meias luas não muito grossas (cerca de 1 cm de espessura). Reserve.
Numa frigideira grande que possa ir ao forno coloque a manteiga e leve ao lume a derreter. Incline a frigideira de forma a que a manteiga unte as laterais, sensivelmente até meio. Retire do lume e polvilhe com o açúcar uniformemente. Junte o rum, a baunilha e a canela e mexa com uma espátula para ficar bem incorporado.
Disponha as maçãs na frigideira formando um círculo, sobrepondo-as ligeiramente já que as maçãs vão encolher com a cozedura.
Leve novamente ao lume até que o açúcar caramelize (cerca de 10-15 minutos). Vigie a frigideira para evitar que o caramelo queime. Assim que se apresentar uma cor dourada escura retire do lume.
Estenda a massa folhada e forma um circulo com um diâmetro ligeiramente maior (2 dedos) que o da frigideira. Faça um pequeno rebordo (1 dedo).
Centre a massa folhada sobre as maçãs. Aconchegue as laterais enrolando a massa para dentro com ajuda de um cabo de uma colher.

Leve ao forno até a massa dourar, cerca de 15 minutos.
Retire do forno e vire rapidamente a tarte sobre um prato de servir. Espalhe o caramelo que ficar na frigideira sobre a tarte e deixar arrefecer um pouco antes de servir.

 
* Fiz a massa folhada baseada nesta receita do Gordon Ramsay. Diminui a quantidade de água e dobrei-a quatro vezes como explicado neste post da Cláudia.
Photobucket

Notas:

- Pelo tamanho da frigideira que usei - 24cm – e pela forma como cortei e dispus as maçãs, duas maçãs chegaram perfeitamente;

- Usei maçãs reinetas não muito maduras, reduzi bastante no açúcar e achei que ficou no ponto. Se usar maçãs mais doces tenha atenção à quantidade de açúcar que colocar.

- Se as maçãs ficarem desarranjadas quando virar a tarte ajeite-as com uma faca. Se ficar alguma colada retire-a com cuidado e ajeite-a na tarte.



Dica:
- Sirva-a morna com uma bola de gelado de baunilha.

22 fevereiro 2012

Pãezinhos franceses

Vi há dias uma reportagem sobre o tempo que as mães portuguesas têm para elas próprias. "Em média são 29 minutos por dia". Achei engraçado. Não sei se são 29 minutos mas efectivamente o tempo é um bem escasso para as mães.

O dia parte-se e reparte-se em mil e uma tarefas e as horas são sempre poucas para tanto. Especialmente para estar com eles, aí é que me parece mesmo que o tempo voa. Talvez seja por ser tão pouco.. Entre o chegar da escola, os banhos, os jantares e a hora de deitar, o tempo para os nossos momentos quase não existe. Por isso aproveito os fins-de-semana e programo o relógio para parar nestes momentos nossos. Especialmente os que passo com ela, que do alto dos seus 4 anos já reclama outro tipo de atenção. E aí sim há tempo para tudo, especialmente para sujar a bancada da cozinha de uma ponta à outra. Num destes domingos fizemos pão para o lanche, amassámos à mão, tendemos bolinhas, deixámos crescer e pintámos com ovo. Vigiou-os no forno e assim que os sentiu mornos comeu dois de seguida. E adormeceu no sofá. Eu arrumei a cozinha enquanto comia um. Pus a jeito os ingredientes do jantar e meia hora depois estava de novo na cozinha ao fogão. O que fiz nesses 30 minutos? Estive sentada ao lado dela no sofá, a vê-la dormir. E soube-me tão bem!   

Nota: O estudo concluía que "as mães portuguesas são as que têm menos tempo para elas próprias entre os países da Europa ocidental" mas, por outro lado, "são também as mais satisfeitas com a maternidade".
E como concordo!..

Photobucket

Pãezinhos franceses

Ingredientes (para 6 pãezinhos como os da foto):
330g* de farinha sem fermento
30g de manteiga sem sal
10g de açúcar
10g de fermento de padeiro fresco
2dl de leite
1 colher de café de sal fino
gema de ovo para pincelar

(T): Peneire a farinha com o açúcar e o sal para um recipiente fundo. Junte a mateiga amolecida e o leite tépido no qual dissolveu previamente o fermento. Amasse muito bem, abafe a massa e deixe levedar até dobrar de volume.
Pré-aqueça o forno a 190º.
Tenda pãezinhos e coloque-os num tabuleiro de forno. Pincele-os com a gema de ovo, deixe descansar 10 minutos e coza no forno durante cerca de 15-20 minutos.

(B): Coloque a farinha, o açúcar e o sal no copo e programe 5 seg na vel 5. Junte a manteiga amolecida e o leite tépido no qual dissolveu previamente o fermento.  Programe 4 min na vel espiga. Deixe a massa no copo, fechado, a levedar até dobrar de volume.
Pré-aqueça o forno a 190º.
Tenda pãezinhos e coloque-os num tabuleiro de forno. Pincele-os com a gema de ovo, deixe descansar 10 minutos e coza no forno durante cerca de 15-20 minutos.
Photobucket

 
Notas:
- Receita do Livro de Pantagruel;
- *Aumentei gradualmente a quantidade de farinha indicada na receita (230g) até obter uma massa moldável. Com as 230g a massa fica liquida, creio que haja algum erro na receita. Não tenho noção precisa se a quantidade de farinha foi exactamente 330g por isso sugiro que coloquem 300g e aumentem aos poucos até obterem uma massa moldável;
- Estes pãezinhos são super rápidos de fazer e ficam bem fofinhos e saborosos.

10 fevereiro 2012

Cookies de granola, coco, chocolate e maçã

Esta semana no Dorie às Sextas sairam bolachas, cookies, grabbers. De granola e de tudo mais o que a imaginação e o gosto ditarem. Na minha versão omitiram-se alguns ingredientes por se duplicarem, acrescentou-se chocolate negro e uma maçã.
Apesar de as ter achado um pouco doces, mesmo tendo suprimido algum açúcar, gostei bastante, especialmente da sua textura crocante. Fiz meia receita e comi-as quase todas já que nem pai nem filha as adoraram..

Segue a receita original com as alterações que fiz entre (). Espreitem a página do Facebook deste projeto e vejam também as sugestões apresentadas pelos outros membros do grupo.

Photobucket

Ingredientes

3 chávenas de granola sem frutas (usei esta caseira com arandos secos, amêndoas e amendoins)
3/4 de passas (omiti*)
1/2 chávena de amendoins sem pele, salgados (omiti*)
1/2 chávena de amêndoas em lascas (omiti*)
1/2 chávena de coco ralado
1/3 de chávena de gérmen de trigo (omiti*)
1/2 chávena de pepitas de chocolate negro
1 maçã ralada
200g de manteiga sem sal amolecida
3/4 de chávena de açúcar mascavado claro
1/4 de chávena de açúcar branco (omiti**)
1 ovo grande
1/4 colher de chá de sal
1 chávena de farinha de trigo

(T): Pré-aqueça o forno a 180º. Forre com papel vegetal ou tapete de silicone o tabuleiro do forno.
Toste ligeiramente o coco numa frigideira anti-aderente. Num recipiente fundo misture a granola, o coco e as pepitas de chocolate. Reserve. Bata a manteiga com o açúcar durante cerca de 5 minutos até obter um creme. Junte o sal e o ovo e misture bem. Reduza a velocidade da batedeira e adicione a farinha, bata até estar bem misturado. Junte a maçã e a mistura da granola e envolva na massa com uma espátula.

Com uma colher de gelados (ou com as mãos) vá formando bolinhas no tabuleiro com uma distância de cerca de 1,5cm entre elas. Espalme-as ligeiramente com os dedos. Coloque o tabuleiro no forno e deixe cozer durante cerca de 10/12 minutos. Retire-os do forno e coloque-os sobre uma rede para que arrefeçam por completo.

*omiti as passas, os amendoins, as amêndoas e o gérmen porque a granola que usei já continha todos estes ingredientes
**omiti o açúcar branco e mantive a quantidade de açúcar mascavado

Photobucket

Notas:
-Fiz meia receita e rendeu 13 bolachas de 5cm aproximadamente;
-Para o meu gosto pessoal achei-as um pouco doces mesmo tendo reduzido a quantidade de açúcar;
-Aguentam 3/4 dias crocantes se hermeticamente guardadas.

07 fevereiro 2012

Granola

Granola ou muesli? Ambos incluem cereais (integrais ou não) e frutos secos e/ou frutos desidratados. São muito similares mas diferem no modo de preparação. O muesli é uma mistura de ingredientes secos, geralmente sem qualquer adição de gordura ou adoçante (ter atenção ao rótulo das embalagens). Já os ingredientes da granola são previamente envolvidos numa mistura de óleo vegetal e adoçante (mel, xarope de ácer, agave e/ou açúcar mascavado) e depois tostados no forno. A granola é, assim, mais rica em açúcares, gorduras e calorias em comparação com muesli, mas ambos fornecem uma grande quantidade de fibras, antioxidantes dos frutos e gorduras saudáveis dos frutos secos que se traduz num cocktail de energia para o dia.

Tanto a granola como o muesli são bastante fáceis de preparar em casa e têm a vantagem de se poder variar nos ingredientes a cada nova “fornada”. Esta versão é que, para já, mais tem agradado aos comensais graúdos desta casa. Tenho anotado algumas alterações que gostava de fazer, nomeadamente ao nível da substituição do azeite e do mel. Quando experimentar partilho.

E vocês, já fizeram a vossa?
Photobucket




Ingredientes: 150g de flocos de aveia, 100g de flocos de cevada, 100g de flocos de centeio, 1 colher de sopa de gérmen de trigo, 30g de sementes de chia, 30g de sementes de linhaça castanha, 40g de amêndoas, 40g de amendoins, 1 colher de café de canela em pó, 2 colheres de sopa de azeite, 2 colheres de sopa de mel, 1 colher de sopa de pólen de abelhas, 50g de arandos vermelhos secos

(T): Pré-aqueça o forno a 170º. Prepare um tabuleiro grande (pode ser o do forno) forrado com papel vegetal.
Numa taça grande coloque os flocos, o gérmen de trigo, as sementes, as amêndoas e os amendoins picados e a canela. Misture muito bem.
Num pequeno tacho leve ao lume o mel e o azeite até o que o mel se dissolva. Deite esta mistura sobre a mistura de cereais e envolva muito bem com uma espátula de silicone. Os cereais devem ficar uniformemente envolvidos pela mistura de azeite e mel. Espalhe a mistura no tabuleiro e leve ao forno por 20 minutos. A meio do tempo mexa com a espátula. Deixe arrefecer e junte os arandos secos, inteiros ou picados (eu corto-os ao meio) e o pólen. Envolva bem e guarde numa caixa hermética. 

Photobucket

Notas:
- Estas quantidades dão para aproximadamente 600g de granola
.

01 fevereiro 2012

Doce de arandos vermelhos

Sempre tive alguma (muita!) curiosidade pelos arandos vermelhos frescos (cranberries). Conhecia-os desidratados, de aparência semelhantes a uma passa mas de cor mais viva e de sabor mais doce. E também em compotas e sumos.

Em Dezembro ainda fui a tempo de os encontrar nos supermercados em Astoria e não resisti a trazer um saco deles comigo. Surpreenderam-me em tudo, na textura, no sabor, no aroma.
São rijos e muito resistentes. E ácidos! De polpa branca e pontilhada de sementes. Não lhes consigo semelhar um sabor. Aguentam-se intactos durante semanas no frigorífico (consumi-os três semanas depois de os ter comprado).

Destinei, parte deles, a este doce e congelei os restantes na expectativa de os usar mais tarde num bolo ou nuns scones. Veremos. Para já, a receita do doce. :)


Photobucket


Doce de arandos vermelhos


Ingredientes: 500g de arandos vermelhos frescos, 200g de açúcar, sumo de raspa de 1 laranja, 1 maçã pequena, 125ml de água


(T): De véspera, lave os arandos e escorra-os. Corte-os em metades ou pique-os grosseiramente num processador de alimentos. Coloque-os num recipiente de vidro, junte o açúcar e o sumo de laranja e envolva tudo. Cubra o recipiente com película aderente e guarde no frigorífico de um dia para o outro.Descasque e rale grosseiramente a maçã. Coloque-a numa caçarola juntamente com a raspa da laranja. Escorra o sumo dos arandos e deite na caçarola. Junte ½ chávena dos arandos (reserve os restantes) e cerca de 125ml de água. Cozinhe por 15-20 minutos (vá mexendo de vez em quando com uma colher de pau). Junte o resto dos arandos e deixe cozinhar por mais 8-10 minutos. Coloque o doce em frascos de vidros esterilizados, feche-os e coloque-os de boca para baixo até arrefecerem por completo.

(B): De véspera, lave os arandos e escorra-os. Corte-os em metades ou pique-os grosseiramente na Bimby com uns toques de turbo. Coloque-os num recipiente de vidro, junte o açúcar e o sumo de laranja e envolva tudo. Cubra o recipiente com película aderente e guarde no frigorífico de um dia para o outro. Descasque e rale grosseiramente a maçã (usei um ralador mas pode triturar a maçã na Bimby 5 seg na vel 5). Coloque-a no copo juntamente com a raspa da laranja. Escorra o sumo dos arandos e deite no copo. Junte ½ chávena dos arandos (reserve os restantes) e cerca de 125ml de água. Programe 18 min, 100º, vel 2. Junte o resto dos arandos e programe 5 min, varoma, vel 1. Substitua o copinho pelo cesto (invertendo-o em cima tampa) e programe mais 5 min na mesma temperatura e velocidade. Coloque o doce em frascos de vidros esterilizados, feche-os e coloque-os de boca para baixo até arrefecerem por completo.

Photobucket



Notas:
- Ligeiramente adpatado de
Cranberry Jam Recipe - 101 Cookbooks (receita original da Tessa Kiros)