27 janeiro 2012

Muffins de milho. em duas versões.

Aquando da publicação do último post, tinha pensado publicar hoje uma compota mas troquei-me as voltas ao integrar o grupo Dorie às Sextas, (tão bem) inspirado no projeto original Tuesdays with Dorie. Tão simples quanto juntar um grupo de pessoas que gostam de cozinhar, são fãs da Dorie e dos seus cozinhados, e que gostam de partilhar as suas experiências culinárias.
E pronto! Duas vezes por mês, sai uma fornada de uma mesma receita em versões diferentes, com pitadas do gosto de cada um, num verdadeiro “desafio à criatividade”, como diz a Mariana, uma das impulsionadoras deste projeto.

Para esta semana a escolha recaiu sobre os corniest corn muffins que optei por preparar em duas versões, doce e salgada. Fiz algumas alterações intuitivas, sempre com a certeza de que havia de dissimular o sabor doce do milho. Na versão salgada optei pela combinação de ervas e pimento vermelho e obtive uns muffins aromáticos com um sabor de fundo que faz lembrar piza. :)
Da preparação doce resultaram uns muffins adocicados, de sabor quente a especiarias enriquecido pelos pedacinhos de nozes e pela cobertura crocante de açúcar e canela. Aprovadíssimos!

Aqui fica a receita com as devidas alterações introduzidas. A receita original pode ser encontrada no livro Baking da Dorie ou aqui.
 
Photobucket

Muffins de milho. versão doce e salgada.



Ingredientes (rende 12 muffins, 6 de cada):
1 chávena de farinha de trigo, 1 chávena de sêmola de milho (usei farinha de milho para xarém), 2 colheres de chá de fermento em pó, 1/4 colher de chá de bicarbonato de sódio, 1/2 colher de chá de sal, uma pitada de noz-moscada, 1 chávena de buttermilk, 6 colheres de sopa de azeite, 1 ovo médio + 1 gema, 1 chávena mal cheia de milho cozido enlatado (uma lata pequena)

Ingredientes extra para versão doce: 1 colher de sopa bem cheia de golden syrup, 1 colher de chá de mistura de especiarias*, 4 colheres de sopa de nozes pecãs grosseiramente picadas, mistura de açúcar com canela q.b.

Ingredientes extra para versão salgada: 3 colheres de sopa de pimento cortado em cubinhos, 1 colher de chá de orégãos frescos, 2 colheres de chá de salsa picada fresca, pimenta preta moída na hora, queijo cheddar ralado q.b.

(T): Pré aqueça o forno a 190º. Unte formas de muffins (queques) ou forre-as com forminhas de papel. Num recipiente misture as farinhas, o fermento, o bicarbonato, o sal e a noz-moscada. Reserve.
Num outro recipiente misture bem o azeite, o buttermilk, ovo e a gema. Deite esta mistura sobre a mistura dos ingredientes secos e envolva bem com uma espátula de silicone sem mexer muito. Acrescente os grãos de milho ligeiramente triturados e envolva na massa.
Divida a massa em duas porções, deitando metade da massa em outro recipiente. Num dos recipientes prepare a versão salgada envolvendo as ervas aromáticas e o pimento. Tempere com a pimenta a gosto. Deite a massa nas formas (encha até 3/4 da forma) e polvilhe com o queijo cheddar ralado.
Para a versão doce, com ajuda da espátula envolva na massa o golden syrup, a mistura de especiarias e as nozes pecãs. Deite a massa nas formas (encha até 3/4 da forma) e polvilhe com a mistura de açúcar e canela.
Leve tudo ao forno por 15/18 minutos até ficarem dourados no topo ou até que um palito espetado no centro saia limpo.

*canela, cravinho, noz-moscada, pimenta, macis, cardamomo, gengibre
Photobucket
Notas:
- Optei por triturar ligeiramente os grãos de milho de modo a que não se sentissem tanto na massa.
- Pode usar outros frutos secos como a noz portuguesa, avelã ou o pinhão que resultará igualmente bem.
- Usei uma mistura de especiarias para pain d’épices mas pode substituir por uma mistura de especiarias caseira a gosto pessoal.
- Pode congelar os muffins depois de frios. Para descongelar basta levá-los ao forno a 180º por uns minutos.
- chávena medidora usada = 240ml

13 janeiro 2012

Bolo de iogurte e limão

Não sou supersticiosa, nem nunca fui. Gosto das sextas-feiras e gosto particularmente do dia 13. Mas gosto ainda mais de bolos de limão. Particularmente se forem como este, ensopado de um travo adocicado a limão. Vá lá, não façam olho-gordo e vão experimentá-lo! E é tão rápido que se prepara enquanto o diabo esfrega um olho. ; )

Photobucket


Bolo de iogurte e limão

Ingredientes: 1 ½ chávenas* de farinha com fermento, ½ colher café sal fino, 1 chávena de iogurte natural, 1 + 1/3 chávenas de açúcar, 3 ovos médios, 1 colher de sopa de raspa de limão, ½ colher de chá de extrato de baunilha, ½ chávena de óleo de milho, 1/3 de chávena de sumo de limão

(T): Pré-aqueça o forno a 180º. Unte e enfarinhe uma forma de bolo inglês. Peneire a farinha com o sal para um recipiente. Reserve. Com uma vara de arames misture bem o iogurte com os ovos, a raspa de limão e o extrato de baunilha. Envolva a farinha com o sal aos poucos. Com uma espátula incorpore o óleo na massa e deite-a depois na forma. Leve ao forno durante cerca de 50 minutos (verifique a cozedura com um palito). Deixe arrefecer na forma.
Prepare entretanto a calda levando ao lume o sumo de limão com os restantes 1/3 de chávena de açúcar até que este se dissolva.
Desenforme o bolo com cuidado e ensope-o com a calda de limão. Sirva morno.

Photobucket



Notas:
- *uma chávena = 240ml
- Receita ligeiramente adaptada da receita de
lemon yogurt cake da Ina Garten.

09 janeiro 2012

Canja de conquilhas no início do novo ano

Gosto de começar o(s) ano(s) com arrumações. De objectos, de sentimentos, de formas de estar, de agir… Acho que me ajuda a receber cada ano com a consciência (tranquila) de que tudo farei para que esse ano seja em tudo melhor que o anterior.
E assim começo, pelos objectos. Revolvo gavetas, estantes, armários. Recantos em que se vão acumulando papéis, pedaços de momentos passados dos quais, na altura, não me consigo separar. E encontro de tudo, recortes de receitas, anotações em post-its, fotografias, revistas, papéis coloridos de um ou outro presente, etiquetas rasgadas de envelopes com moradas de amigos, laços e fitas cortadas daqui e dali, cartões recebidos em ocasiões especiais, velas mordidas por desejos, sacos de papel bonitos, cadernos, tanta coisa…

Vou guardando tudo, afeiçoando-me, na hora, àqueles pedacinhos de um dia ou ocasião, àqueles objectos que me cativam ao primeiro olhar, àquelas memórias que fazem o dia-a-dia. Por isso, no início de cada ano, dou volta a tudo, volto a guardar os objectos mais importantes e simbólicos e, com alguma (muita!) resistência, desfaço-me dos outros.

E enquanto o faço, estabeleço novas metas a esta mania de imortalizar tanto momento, desafio-me e proponho-me a mudanças. Formulo e reformulo. E acato cada uma destas premissas, acreditando que o ano assim será melhor. As conclusões, essas, tirarei no início do ano seguinte.

Entretanto vou aproveitando o presente, tirando partido destes dias que se afiguram vazios mas que a cada manhã se fazem de boas mudanças e se renovam em boas memórias, como uma simples sopa de conquilhas!

Photobucket

Canja de conquilhas

Ingredientes (para 4 pessoas): 1kg de conquilhas frescas, azeite, 1 cebola, 1 dente de alho, 1 chávena de arroz, coentros frescos, água e sal q.b.

(T): Coloque as conquilhas em água do mar (ou em alternativa em água com sal grosso) durante uma hora de modo a que libertem a areia. Pique a cebola e o dente de alho finamente. Cubra o fundo do tacho com azeite e leve ao lume com a cebola e o alho. Deixe alourar. Junte a água (3 chávenas para uma de arroz) e deixe ferver. Deite o arroz, tempere com sal e deixe cozer durante cerca de 10 minutos. Lave bem as conquilhas e junte-as ao arroz. Pique os coentros e junte-os também. Assim que as conquilhas abrirem desligue o fogo e sirva a canja de imediato.

Dicas:
- Com a mesma receita pode fazer um arroz de conquilhas, basta reduzir a quantidade de água.