29 novembro 2010

Madalenas de tangerina e amêndoa

Manhãs frias de domingo com meias grossas e pantufas. Café com leite quente e torradas ou panquecas. Forno ligado e gadgets na bancada. Meus e dela. Escolhemos ingredientes ao sabor do momento. Sujamos tudo e voltamos a limpar. E rimos. Muito!

Manhãs frias de domingo com forno ligado. Bolachas, bolinhos, pão.. A quatro mãos.
Tardes de domingo de lareira acesa. No sofá. E migalhas por todo o lado. Muitas!
Dias perfeitos..
Photobucket

Madalenas de tangerina e amêndoa

Ingredientes: 3 ovos, 110g de açúcar, 3 colheres de sopa de sumo de tangerina + raspa da tangerina (usei clementinas), 130g de farinha (com fermento), 50g de farinha de amêndoa (amêndoa sem pele finamente moída), 100g de manteiga

(T): Bata os ovos com o açúcar até obter uma mistura cremosa. Junte o sumo e a raspa da tangerina e continue a bater. Junte a farinha peneirada e a farinha de amêndoa e misture bem. Por fim envolva a manteiga na massa com ajuda de uma colher de pau. Deixe a massa repousar alguns minutos no frigorifico.
Distribua o preparado pelas formas de madalenas e leve ao forno pré-aquecido a 180º durante cerca de 20 minutos.


(B): Bata os ovos com o açúcar 4 min, 37º, vel 4. Junte o sumo e a raspa da tangerina e misture 5 seg na vel 3. Envolva a farinha peneirada e a farinha de amêndoa 10seg na vel 2. Junte a manteiga derretida e misture 10seg na vel 2. Deixe a massa repousar alguns minutos no frigorifico.
Distribua o preparado pelas formas de madalenas e leve ao forno pré-aquecido a 180º durante cerca de 20 minutos.
Photobucket

25 novembro 2010

Caril de frango e camarão

No dilema de quem todos os dias cozinha, deixei a descongelar, logo de manhã, antes de sair de casa, uma embalagem de bifes de frango. Imaginei que iria fazê-los enrolados, no forno. Mas não. Uma grávida também tem os seus dilemas pessoais e desejos próprios do momento e ao fim da tarde os apetites por caril ditaram a sentença final aos bifes.

Photobucket


Caril de frango e camarão

Ingredientes: 400g de bifes de frango, limão e gengibre fresco para temperar, 130g de camarão descascado, 50g de azeite, 70g de cebola, 100g de alho francês (apenas a parte branca), 30g de pimento vermelho, 1 colher de sopa de caril em pó, 100g de tomate maduro pelado, sem sementes e picado (ou polpa de tomate), 200g de leite de coco, sal, pimenta e coentros frescos q.b.

(B): Corte os bifes em pequenos pedaços e tempere-os com o sumo de limão e o gengibre. Reserve. Coloque a cebola no copo e triture 5 seg, na vel 5. Junte o alho francês cortado em rodelas e o azeite e programe 5 min, 100º, vel 1. Adicione o tomate, o leite de coco e o caril e envolva 5 seg, na vel 2 inversa. Junte o pimento em tiras e o frango, tempere com sal e pimenta e programe 10min, 90º, vel colher inversa. Junte o camarão, rectifique os temperos, se necessário, e programe mais 5 minutos na mesma temperatura e velocidade.
Antes de servir polvilhe com coentros frescos picados. Acompanhe com arroz branco ou com arroz de limão.

(T): Corte os bifes em pequenos pedaços e tempere-os com o sumo de limão e o gengibre. Reserve. Pique a cebola e corte o alho francês em rodelas. Coloque-os num tacho largo com o azeite e refogue por uns minutos. Junte frango e deixe-o corar. Adicione o tomate, o leite de coco, o caril e o pimento em tiras e envolva bem. Tempere com sal e pimenta. Tape o tacho e deixe cozinhar durante cerca de 15 minutos. Junte o camarão, rectifique os temperos, se necessário, e deixe cozinhar por mais uns minutos.
Antes de servir polvilhe com coentros frescos picados. Acompanhe com arroz branco ou com arroz de limão.

Photobucket


Notas:
- Pode usar frango partido em pequenos pedaços em vez dos bifes;
- Pode substituir o camarão por igual quantidade de frango e fazer caril de frango apenas. Da mesma forma pode substituir o frango por camarão e obterá um óptimo caril de camarão.

20 novembro 2010

Hoje a Moira vem jantar!

Mas como normalmente o jantar passa a correr, pedi-lhe para vir mais cedo para dois dedos de conversa e uma chávena de chá. E como a Moira gosta de pão, preparei-lhe um pãozinho em forma de Margarida. Sim porque os amigos recebem-se sempre com flores e um sorriso!

Parabéns ao
Tertúlia de Sabores pelo seu 3.º aniversário! Cá estaremos para celebrar muitos mais em prazenteiras tertúlias. Espero que gostes do lanchinho. : )

Photobucket

Pão-brioche de milho (em forma de) Margarida

Ingredientes: 1,5 colher de café de fermento de padeiro instantâneo, 380g de farinha tipo 55, 100g de farinha de milho fina, 1 ovo, cerca de 250ml de água, 1 colher de café de sal, sementes para decorar (usei de linhaça e de sésamo pretas)

(mfp): Pese o ovo e complete com água até obter 300g ou 300ml (se utilizar um doseador). Coloque os ingredientes por ordem na cuba da máquina e seleccione o programa amassar. Deixe terminar todo o ciclo. Transfira a massa para a bancada enfarinhada, molde uma bola e aplane-a ligeiramente. Cubra-a com um pano húmido e deixe-a descansar durante 15 minutos. Coloque a massa sobre uma folha de papel vegetal e abra-a com o rolo até obter um disco uniforme de cerca de 30cm de diâmetro. Coloque um copo no centro do disco e enfarinhe abundantemente a massa. Corte as pétalas à volta do copo com ajuda de um corta-massa ou de uma faca. O copo servirá de auxiliar para conseguir um resultado regular.
Tire o copo e transfira o pão com o papel para o tabuleiro do forno. Vire cada pétala um quarto de volta a fim de que cada parte não enfarinhada fique visível. Deixe levedar 1 hora à temperatura ambiente coberta com um pano húmido. Pincele ligeiramente o olho da flor com leite e cubra-o com sementes a gosto de forma a simular o olho da flor.
Pré-aqueça o forno a 220º e coloque um recipiente com água dentro para criar vapor. Leve o pão ao forno e deixe cozer durante cerca de 15 minutos.

Photobucket

Notas:
- Receita ligeiramente adaptada do livro
O atelier do Pão;
- Moldei três flores em vez de apenas uma. Pode moldar flores mais pequenas, dividindo a massa em quantidades iguais consoante o número de flores que pretende fazer. A massa trabalha-se muito bem.

15 novembro 2010

Se a terra me dá frutos

... eu cozinho-os. E agradeço por isso. Pudesse tanta gente ter um bocadinho de terra para cultivar. Já se vão vendo por aí pequenas hortas comunitárias e sendo certo que, como li há dias, não são o milagre das finanças domésticas, o que é um facto é que fazem muito bem ao espírito, proporcionando o bem-estar emocional de quem as cultiva. E a isso soma-se a qualidade dos produtos biológicos produzidos e consumidos, traduzindo-se numa alimentação mais saudável.

A horta da minha sogra deu-me há dias marmelos. E eu cozinhei-os. Primeiro assim, cozidos em especiarias. Depois em bolo. Depois em marmelada. E ainda há marmelos a aguardar outras receitas.

Boa semana!

Photobucket

Marmelos cozidos em especiarias

Ingredientes: 4 marmelos, 600ml de água, 10 colheres de sopa de açúcar, 2 paus de canela, 1 estrela-de-anis, 2 cravinhos, 1 cápsula de cardamomo, ½ vagem de baunilha, sumo de limão q.b.

(T): Lave bem os marmelos, descasque-os e corte-os em metades. Regue-os com sumo de limão à medida que os vai cortando para não escurecerem.
Leve um tacho ao lume com a água e o açúcar. Quando o açúcar se dissolver junte as especiarias e os marmelos. Tape o tacho e deixe cozinhar em lume baixo por cerca de 1h30. Sirva-os ainda mornos.

Photobucket


Notas:
- Pode usar outras especiarias a gosto;
- Para economizar tempo pode cozer os marmelos na panela de pressão;
- Uma bola de gelado de baunilha acompanha-os na perfeição quando ainda mornos.

09 novembro 2010

A que sabe o Outono?

Já não restam quaisquer resquícios do Verão. A hora já mudou, os dias encurtaram e o fim do dia anuncia-se bem cedo. Na rua as pessoas andam mais cabisbaixas como se o frio encobrisse os sorrisos quentes do Verão. À saída do trabalho cruzam-se em passo acelerado e desaparecem por entre o fumo das castanhas assadas.
O Outono revela-se-me assim. Com dias curtos e nebulosos e tons tão característicos como o amarelo-torrado das folhas que já cobrem o chão. Com sabores e aromas que nos povoam a memória de boas recordações como uma tigela de marmelada caseira da mãe. E com serões de chá e fatias de bolo, enroscada numa manta naquele cantinho preferido do sofá. O Outono sabe-me, sem dúvida, a aconchego!
 
Boa semana.



Tarte de maçã e marmelo

Ingredientes para a massa: 260g farinha, 1 colher de sopa de açúcar, 1 pitadinha de sal, 105g de manteiga magra, água gelada q.b.

Ingredientes para o recheio: 50g de manteiga, 1 colher de chá de canela, 600g de maçãs vermelhas, 400g de marmelo, 130g de açúcar, 1 cravinho

Ingredientes para finalizar: 1 ovo, 1 colher de sopa de leite, açúcar e canela q.b.

(T): Prepare a massa: num recipiente junte a farinha, o açúcar e o sal. Junte a manteiga e amasse bem. Adicione a água gelada à massa na quantidade necessária para obter uma massa homogénea e maleável que não se agarra aos dedos. Amasse novamente. Envolva a massa em película aderente e deixar repousar durante 1 hora.

Para o recheio: Descasque as maçãs, retire-lhes o caroço e corte-as em cubinhos. Proceda da mesma forma com os marmelos. Leve ao lume a manteiga, a canela e o cravinho num tacho largo. Quando a manteiga estiver totalmente derretida, adicione as maçãs e os marmelos e envolva bem. Junte depois o açúcar e envolva novamente. Deixe cozinhar, mexendo de vez em quando, até as maçãs e os marmelos estarem cozinhados mas não totalmente desfeitos.
Retirar do lume e deixar arrefecer completamente. Retire o cravinho.

Pré-aqueça o forno a 190ºC. Unte uma tarteira de fundo amovível com manteiga.
Numa superfície enfarinhada estenda 2/3 da massa até obter uma massa fina que dê para forrar o fundo e as paredes da tarteira. Coloque a massa na forma previamente preparada.
Deite o recheio sobre a base e alisar a superfície. Com uma faca corte o excesso da massa (o bordo da tarte deve ficar com a mesma a altura que o recheio).
Estender a massa restante e corte tiras com cerca de 2 cm de largura. Disponha-as sobre a tarte formando uma espécie de grelha. Corte o excesso de massa das tiras e pressione levemente as suas extremidades.
Bata ligeiramente o ovo com o leite e pincele as tiras. Polvilhe a tarte com açúcar e canela e leve ao forno até estar cozinhada (cerca de 25/30 minutos).


Notas:
- Receita adaptada desta publicada pela Andreia do Baunilha e Caramelo. Receita original do livro The Hummingbird Bakery Cookbook.

01 novembro 2010

Das estórias e tradições do meu Reino

"Diz à mãe que pode vir buscar os Santos!" Todos os anos por esta época ela me pedia para dar o recado à minha mãe. Mais tarde comecei a ir buscá-los eu, e trazia-os divididos em saquinhos de plástico bem fechados. Hoje já não os faz. Os braços já não têm a força necessária para mexer aquela mistura que se adensa ao lume. Essa força que fazia "Santos" para dar e vender. Sim, vendia-os na sua banca na praça, especialmente àqueles clientes habituais que encomendavam de um ano para o outro. E assim começava a azáfama. Levava os figos e as amêndoas das bancas vizinhas da praça. A caminho de casa passava na mercearia para comprar o chocolate, o açúcar, a canela e a erva-doce. Carregava tudo na sua cesta de empreita, aquela que sempre a acompanhava nos dias de trabalho no mercado. Nestes dias eu saía da escola a correr, contando os segundos para meter a mão na massa. E ainda chegava a tempo de a ver montar a máquina de moer antiga na mesa de madeira. Moía as amêndoas. Moía os figos. Rodando sempre aquela manivela já enferrujada com a mesma destreza. De seguida passava para o fogão. E era aí que a magia acontecia. Primeiro o odor quente a chocolate, canela e erva-doce. Depois o aroma da amêndoa e do figo a mergulharem naquela calda. Em bicos de pés eu colocava-me junto a ela e tentava espreitar para dentro do tacho. Ela afastava-me com a sua preocupação de avó: "Sai daqui, olha que te podes queimar!" E lá voltava eu para a cadeira de atabua à espera que o tacho chegasse à mesa. Esta era a parte que eu mais gostava. Tornava-me impaciente enquanto a mistura arrefecia. E depois, bem, depois era um festim! Arregaçava as mangas, afundava as mãos na massa e moldava as pequenas bolas à medida que a observava no mesmo ritual. Por fim rebolava-as pelo açúcar e embrulhava-as delicadamente nos quadrados coloridos de papel de prata.

Entretanto a minha avó preparava os figos cheios que levava ao forno da vizinha para torrar. Na noite anterior já tinha franjado os pequenos pedaços de papel de seda de cores. Já frios enrolávamos um por um no papel, tal e qual como se fossem rebuçados. O fim da tarde nem se fazia sentir. Eu voltava para casa dos meus pais. A minha avó, resistia ao cansaço, arrumava a cozinha e preparava tudo para regressar ao mercado no dia seguinte.

Os bombons de figo, os figos cheios e as
estrelas de figo (que não publico porque não tive disponibilidade para as fazer) são confeccionados um pouco por todo o Algarve habitualmente por altura do Dia de Todos os Santos, dia 1 de Novembro, daí serem muitas vezes apelidados de "Santos". Tanto a minha avó paterna como a materna mantiveram viva por muitos anos esta tradição, oferecendo-os aos filhos netos neste dia. Mas a idade não perdoa e agora é a minha vez de lhes retribuir os Santos.
Sofia, do meu Reino dos Algarves, que é também teu, envio-te esta estória recordada com saudade. Espero que pelo menos te chegue aí o aroma destas iguarias que as palavras transportam. Longos anos ao teu Reino!

Bombons de figo
Ingredientes: 250g de figos secos, 250g de amêndoas (usei com pele), 200g de açúcar, 30g de chocolate em pó, 1 1/2 colher de café de canela, 1 colher de chá de erva-doce, 1,5 dl de água, raspa de meio limão, açúcar para finalizar

(T): Moa os figos e as amêndoas separadamente e reserve. Leve ao lume a água, o açúcar, a canela, a raspa de limão, a erva-doce e o chocolate até formar ponto de estrada. Junte a amêndoa moída e o figo, mexendo sempre e deixando ferver durante 5 minutos. À parte, polvilhe um tabuleiro com açúcar. Deite o preparado e deixe arrefecer. Depois de frio molde pequenas bolas do tamanho de uma noz e passe-as pelo açúcar. Recorte quadrados de papel de alumínio (ou papel de prata de cores) e embrulhe os bombons um a um.


Figos cheios

Ingredientes: 500g de figos secos, 125g de amêndoa torrada moída, 60g de açúcar, 12g de chocolate em pó, 1/2 colher de café de erva-doce, 1 colher de café de canela, raspa de limão, amêndoas torradas inteiras (com pele) q.b.

(T): Misture bem a amêndoa, o açúcar, o chocolate, a canela, a erva-doce e a raspa de limão. Se os figos estiverem espalmados puxe-lhes o pé de modo a que voltem à sua forma original. Com uma faca afiada faça-lhes um golpe vertical, do pé até ao olho. Encha os figos com esta mistura. Termine com uma amêndoa inteira e una a abertura apertando. Disponha-os num tabuleiro e leve-os ao forno a torrar. Deixe arrefecer e embrulhe-os em papel de seda ou papel cristal franjado.

Notas:- Na receita dos bombons de figo pode usar amêndoas e figos torrados;
- Pode optar por não embrulhar os figos cheios (como eu fiz);
- Tanto os bombons como os figos cheios aguentam bastante tempo guardados dentro de caixas herméticas;
- Receitas adaptadas do livro Cozinha Regional do Algarve.