19 Agosto 2010

Até já!

Limpar. Arrumar. Lavar. Passar. Guardar. Fechar. Sair!!
Vemo-nos por aí, de férias, claro!!


Caipirinhas com gengibre e manjericão

Ingredientes (para 3 caipirinhas): 4 limas, 60g de açúcar amarelo, 1 colher de chá de gengibre fresco ralado, 6 folhas de manjericão, 90ml de cachaça, gelo picado q.b.

(T): Coloque as limas em quartos, o gengibre ralado e as folhas de manjericão rasgadas num recipiente de vidro. Esmague com um pilão e junte o açúcar. Volte a esmagar. Junte a cachaça a gosto e misture. Divida o preparado por copos em partes iguais e junte o gelo picado até encher o copo.


Notas:- Se achar necessário junte mais açúcar ou cachaça a gosto pessoal.

12 Agosto 2010

Pérolas da Ria

Já não conto os dias para entrar de férias. Amanhã por esta hora dou início ao período de sopas e descanso por que tanto anseio. Estão a chegar os dias vividos em slow motion, A palavra descansar está no topo da to do list. Seguem-se as palavras dormir, ir à praia, ler, petiscar, passear…

E por falar em petiscar, deixo-vos uma sugestão com sabor a mar e cheiro a verão. Eu prefiro-as ao natural, com um pouco de sumo de limão apenas.

Entretanto, e se for caso disso, aproveitem os dias de férias!



Ostras
Ao natural: Escove bem as ostras para limpar todas as areias, algas e lamas que possam ainda ter agarradas. Coloque a ostra numa tábua de cozinha na bancada, segure-a com um pano de cozinha (de modo a proteger as mãos) com a casca mais achatada virada para cima. Segure-a firmemente e insira a ponta de uma faca para ostras (ou uma faca pequena de cozinha) na extremidade mais estreita (junto à articulação), entre as duas conchas.

Rode ligeiramente a faca para ambos os lados para forçar as conchas a abrir. Quando a ponta da faca estiver entre as conchas, faça-a deslizar até partir o músculo da ostra. Abra-a com cuidado e descarte a concha superior.

Sirva-as num prato sobre uma camada de gelo picado e limão em quartos.

Na chapa: Depois de as escovar, disponha as ostras numa chapa ou numa frigideira de ferro larga e leve ao fogo até as conchas abrirem. Deixe-as arrefecer e com a ponta da faca ajude a soltar a concha superior. Sirva-as com limão em quartos.

Pode de igual modo abrir as ostras no grelhador ou, se preferir um processo mais rápido, colocando-as no microondas por uns segundos.


07 Agosto 2010

Com pão e água

Estes dias têm sido quentes, mas mesmo muito quentes. Este calor suga-me as energias e nem os banhos na praia ao fim da tarde ajudam a carregar baterias. Penso que me falta apenas a próxima semana para entrar de férias e suspiro.. "Parece uma eternidade..."


Ao contrário do resto do ano, na cozinha é onde passo menos tempo. Preparo coisas simples. A inspiração não é muita. E a vontade também não, confesso. Mas no sábado passado, no mercado, não resisti a uns carapaus pequeninos e entre a indecisão de os alimar ou fritar o apetite fintou-me e acabei por prepará-los para fritar assim que cheguei a casa. Com a ponta da faca retirei-lhes as entranhas e parte da cabeça. Enquanto os fritei cortei o pão duro em pedaços, escaldei os tomates e preparei o meu arjamolho. Quando o peixe foi para a mesa, juntei-lhe umas pedras de gelo. Estava perfeito!

 
E já agora, deixem que vos diga, não o dispenso nesta altura!

Bom fim-de-semana!

Arjamolho ou gaspacho algarvio

Ingredientes: 2 tomates maduros, 1 dente de alho, metade de um pimento verde, pão caseiro de véspera, água fria, azeite, vinagre de vinho, orégãos secos e flor de sal q.b.

(T): Pele os tomates, retire-lhe as sementes e corte-os em pequenos pedaços. Limpe o pimento e pique-o (não muito fino). Pise o alho com a flor de sal e junte ao tomate e ao pimento. Numa tigela deite o azeite, a água fria e o vinagre. Junte a o tomate, o pimento, o alho e o sal. Corte o pão em cubos grandes e adicione. Polvilhe abundantemente com orégãos, misture bem e sirva.


Notas:
- Se apreciar, pode juntar um pouco de pepino picado;
- Quanto mais duro estiver o pão melhor ficará.

04 Agosto 2010

"Meu querido mês de Agosto"..

Nem é preciso olhar para o calendário para saber que o tão receado mês de Agosto chegou.. Para mim é um tormento. De um dia para o outro deixo de me sentir “em casa”. É um sufoco andar na estrada, especialmente ao fim da tarde quando toda a gente regressa da praia; é desesperante ir ao supermercado e encontrar as prateleiras vazias; é frustrante querer ir jantar ao sítio do costume e não conseguir sequer reserva..

Nestas alturas refugiamo-nos em casa e desfrutamos dos petiscos caseiros, do marisco da Ria formosa que vem até casa, do pão caseiro comprado na padaria do topo da rua, da fruta e legumes que chegam da casa da sogra e do peixe que ao sábado de manhã cedo consigo comprar no mercado. Há grelhados, saladas, mariscadas, sobremesas frescas, bom vinho, caipirinhas e sangrias. E há um céu estrelado fantástico que serve de cenário a tudo isto. Especialmente, a uma flagrante tarte de maçã como esta..

Pode-se pedir mais? Acho que não... : )



 
Tarte(lettes) de maçã
Ingredientes:
Para a massa:150g de manteiga, 80g de açúcar, 1 ovo, 250g de farinha de trigo

Para o recheio: 650g de maçã, 65g de manteiga, 130g de açúcar (coloquei 100g), 1 colher chá de canela em pó, 1 colher chá de extracto de baunilha ou ½ vagem (usei ½ vagem), 130ml de natas espessas de culinária

(T): Prepare a massa: bata a manteiga com o açúcar numa taça. Adicione o ovo, batendo bem. Misture a farinha rapidamente até homogeneizar. Refrigere durante 30 minutos, tapada com película aderente.
Estenda a massa sobre uma superfície ligeiramente. Unte forminhas de 7cm de diâmetro ou uma tarteira grande e forre-as com porções de tarte (usei formas de tartelettes). Refrigere durante mais 30 minutos.
Pré-aqueça o forno a 180ºC. Cubra as formas com papel vegetal e coloque feijões secos sobre a massa para impedir de inflar durante a cozedura. Coza durante 10 minutos. Retire o papel vegetal e coza durante mais 10 minutos. Retire do forno e reserve.

Para o recheio: descasque e descaroce as maçãs e corte-as em cubos de 1cm. Aqueça a manteiga num tacho. Adicione as maçãs, o açúcar, a canela e a baunilha. Coza em lume médio até que as maçãs fiquem sem água e comecem a caramelizar ligeiramente. Junte as natas aos poucos e mexa bem. Deite este creme sobre a massa e coza mais 15 minutos. Retire do forno e deixe arrefecer.


Notas:
- Receita do livro da Leonor, Flagrante Delicia;
-
Achei a massa um pouco complicada de estender pelo que preferi moldá-la com os dedos às forminhas.