24 dezembro 2009

Um licor de Inverno num dos dias mais calorosos do ano

Hoje sento-me ao computador para vos saudar a todos nesta quadra natalícia. Sento-me como se estivesse sentada à mesa com a família. Sento-me e partilho convosco um bolo rei que tal como a amizade é rico em ingredientes que despertam inúmeras sensações. Partilho um sonho coberto de açúcar e canela desejando que os vossos sonhos se tornem realidade num futuro muito próximo.

Partilho ainda as doze passas desejando por cada uma amor, saúde, paz, união, partilha, alegria, compreensão, respeito, carinho, amizade, lealdade e muita luz.

E convosco faço um brinde a tudo o que este ano nos trouxe de bom e a tudo o que 2010 nos reserva. Aos meus desejos junto o de mantermos sempre vivo o espírito amistoso que a blogosfera nos tem proporcionado.

A todos os que seguem o figo lampo desejo um Feliz Natal e um 2010 pleno em concretizações pessoais. Até para o ano e boas entradas!

Licor de Inverno

Ingredientes (para 1 litro): 40 grãos de café, 1 litro de brandy ou Jenever Holandês, 1 1/2 pau de canela, 1 1/2 vagem de baunilha, 1 estrela de anis, 300g de açúcar, 2 laranjas cuidadosamente lavadas

(T): Coloque todos os ingredientes num boião de conserva bem limpo. Feche e agite. Reserve num local escuro (cave), não coloque no frigorífico. A cada 4 dias mexa um pouco o líquido. Após três a quatro semanas o licor está pronto. Passe a mistura pelo passador e sirva decorado com raspa de laranja ou estrela de anis.


Notas:

- Receita do Apolónia.

21 dezembro 2009

Bolo de Natal na lata

Não sei como é convosco mas eu abomino as filas nas caixas, os artigos mexidos e remexidos, as montanhas de roupa onde é impossível sequer tirar de lá algo, as prateleiras vazias ou com artigos trocados, os pares trocados, os embrulhos feitos à pressa.. Nada disso rima com presentes de Natal na minha cabeça.. Talvez por isso comece a comprar os presentes em Novembro. Compro o que quero para quem quero e ofereço exactamente aquilo que tinha pensado. Sem confusões nem stresses. Na maior parte das vezes vêm sem ser embrulhados porque essa parte é a minha preferida. A mesa da sala veste-se de papéis de embrulho, fitas, cartões e outros adornos e de lá saem os presentes directos para debaixo da árvore.


A par disso há sempre os presentes caseiros que se oferecem só por si ou junto a presentes comprados e que em conjunto convidam a uma experiência e são por si só um presente diferente: uma manta de sofá com chás, livros ou bolachas, incensos com chás e bolachas, um livro com bolachas e compota, uma vela com uma garrafa de vinho e bolachas salgadas com queijo.. Basta puxar pela imaginação.

Este bolo na lata é uma sugestão óptima também. O bolo faz-se na lata e oferece-se. Quem o receber fica com um duplo presente, o bolo e a lata para guardar.

Faltam-vos ainda algumas prendas? Então, fiquem em casa e aceitem a sugestão!



Bolo na lata (versão Congo Bars_Quadrados do Congo)
Ingredientes: 100g de manteiga, 3 ovos, 200g de açúcar mascavado, 100g de nozes, 1 chávena de gotas de chocolate (ou chocolate em tablete picado), 200g farinha de trigo, 2 colheres (chá) de fermento em pó, 1/2 colher (chá) de sal


(B): Deitar no copo da bimby a manteiga e o açúcar e bater por 5 seg na vel 4. Coloque os ovos inteiros um a um nessa mistura e programar mais 10 seg na vel 4. Acrescentar as castanhas e o chocolate picado e mexer por 5 seg na vel 4. Juntar os ingredientes secos peneirados e misturar por 10 seg na vel 3. A massa fica bem consistente. Forre a lata com papel vegetal e unte-o depois com manteiga derretida para ser mais fácil. Despeje dentro a massa do bolo e leve a cozer em forno pré-aquecido
a 180 °C por cerca de 30 minutos. Deixe arrefecer e polvilhe com açúcar em pó. Feche a caixa, envolva-a com uma fita a condizer e coloque-lhe uma etiqueta de Natal com a receita do bolo e os votos natalícios.

(T): Bata a manteiga com o açúcar até obter um creme esbranquiçado. Adicione os ovos, um a um, sem parar de bater. Junte as nozes e as gotas de chocolate e misture. Envolva depois a farinha com o fermento e o sal peneirados. A massa fica bem consistente. Forre a lata com papel vegetal e unte-o depois com manteiga derretida para ser mais fácil. Despeje dentro a massa do bolo e leve a cozer em forno pré-aquecido a 180 °C por cerca de 30 minutos. Deixe arrefecer e polvilhe com açúcar em pó. Feche a caixa, envolva-a com uma fita a condizer e coloque-lhe uma etiqueta de Natal com a receita do bolo e os votos natalícios.



Notas:
- Ideia
daqui com receita daqui- Usei uma lata das que trazem as bolachas de manteiga dentro mas pode comprar latas vazias a gosto;
- Não use açúcar branco para não alterar a consistência do bolo;
- Não se deve usar uma receita de um bolo que cresça muito porque depois a lata não fecha.

18 dezembro 2009

Bolachas de lavanda e limão

Dei-me conta de que faltam seis dias para o Natal.. Na minha cozinha amontoam-se impressões de receitas de bolos, bolachas e afins.. O forno tem trabalhado todos os dias e ainda há pouco sairam de lá três bolos para levar para a escola da filhota amanhã. Estas aqui abaixo estão embrulhadinhas à espera de chegar ao destino..

E siga o rol das sugestões gastronómicas natalícias!


Bolachas de lavanda e limão

Ingredientes: 150g de farinha de trigo, 25g de farinha de arroz, 125g de manteiga fria cortada em cubinhos, 50g de açúcar granulado fino, raspa de 1/2 limão, 1 colher de sopa de flores de lavanda

(T): Deite as farinhas numa taça. Junte a manteiga e amasse com os dedos até obter uma massa areada. Incorpore o açúcar, a raspa de limão e as flores de lavanda e trabalhe a massa com as mãos para formar uma bola macia. Amasse ligeiramente e, em seguida, estenda-a com o rolo sobre uma superfície enfarinhada até ficar com cerca de 5mm de espessura. Corte as bolachas com ajuda de um cortador canelado. Coloque-as num tabuleiro sobre um tapete de silicone ou papel vegetal, pique-as com um garfo e leve a forno pré-aquecido a 160º durante 10-12 minutos. Deixe arrefecer no tabuleiro.

(B): Deite as farinhas no copo. Junte a manteiga e misture 5 seg na vel 5. Incorpore o açúcar, a raspa de limão e as flores de lavanda 4 seg, vel 5. Retire a massa para a bancada e trabalhe-a com as mãos para formar uma bola macia. Amasse ligeiramente e, em seguida, estenda-a com o rolo sobre uma superfície enfarinhada até ficar com cerca de 5mm de espessura. Corte as bolachas com ajuda de um cortador canelado. Coloque-as num tabuleiro sobre um tapete de silicone ou papel vegetal, pique-as com um garfo e leve a forno pré-aquecido a 160º durante 10-12 minutos. Deixe arrefecer no tabuleiro.


Notas:
- Receita adaptada do livro
200 receitas de bolos e bolachas;
- A consistência destas bolachas é semelhante às shortbread.

15 dezembro 2009

Empanadilhas de batata doce

Se na nossa ceia de Natal não falta o bacalhau na mesa, as empanadilhas (ou azevias mas cá são conhecidas por empanadilhas) não lhe ficam atrás. Lembro-me perfeitamente dos serões com a minha mãe a amassar, esticar massa, colocar recheio, fechar, cortar, fritar e passar por açúcar e canela.. Era uma trabalheira e tanto. A minha mãe arregaçava as mangas e amassava a massa à mão. O recheio era preparado de véspera. Em poucas horas havia pratos e travessas de empanadilhas quentinhas. Umas eram preparadas para oferecer a familiares e amigos, outras aguardavam pela hora de subirem à mesa de Natal. Era e continua a ser o petisco doce preferido de todos.

A produção tem diminuído de ano para ano porque a força de braços já não é a mesma e eu confesso que nunca me atrevi a fazê-las sozinha principalmente pelo facto de imaginar não conseguir alguma vez chegar aquele sabor das empanadilhas da mãe. Mas este ano contrariei o receio e dei corda à mfp e à Bimby que foram as minhas aliadas na primeira fornada. Sim porque com a velocidade que desapareceram e a facilidade com que foram feitas, muitas mais se vão seguir e quem sabe se com o tempo não serão elas as descendentes das empanadilhas da mãe. : D

Querem provar? Aqui fica a receita.

 
Empanadilhas de batata doce

Ingredientes da massa (para cerca de 30 unidades):
500gr de farinha de trigo, sumo de 2 laranjas, 70gr de banha derretida, 70g de manteiga derretida, 1 cálice mal cheio de aguardente, uma pitada de sal, água tépida q.b.

Ingredientes do recheio: 700gr de polme de batata doce*
, 350 g de açúcar, 50gr de água, 2 colheres de sopa rasas de canela em pó, 1 colher de sopa mal cheia de chocolate em pó, casca de limão

(mfp):
Peneire a farinha para a cuba da máquina, coloque os restantes ingredientes, seleccione o programa amassar e deixe-o seguir até ao fim (a massa deve descansar algum tempo depois de amassada).

(B): Coloque no copo limpo as gorduras e programe 3min/70º/vel 1. Junte o sumo das laranjas, a aguardente, o sal e a farinha e amasse 2min/vel espiga. Veja a consistência da massa. Se agarrar ao copo e aos dedos junte um pouco mais de farinha e amasse mais 1min. Se não estiver bem agregada junte um pouquinho de água tépida e amasse mais 1 min. Retire para um recipiente e deixe-a descansar.

Prepare entretanto o recheio: Coloque a água e o açúcar no copo e programe 10 min, temp varoma, vel 1 para fazer a calda de açúcar. Junte o polme de batata doce
*
, a casca de limão, a canela e o chocolate e programe 5 minutos temperatura 100º, velocidade colher.
Retire a casca, transfira para um recipiente e deixe arrefecer.
*
Para o polme de batata doce: Monte a varoma e disponha as batatas doces descascadas e cortadas em pedaços no tabuleiro. Coloque água no copo até meio e programe 20min, temp varoma, vel 3 (se não estiverem bem cozidas programe mais uns minutos).
Coloque as batatas cozidas no copo e reduza-as a puré 1 min na vel 8-9.

Retire pequenas porções de massa e estenda-as com o rolo da massa, com a espessura mais fina possível (tenha o cuidado de deixar a restante massa tapada para não secar). Coloque uma colher de sobremesa cheia de recheio e feche a empanadilha com a massa (como os rissóis). Calque bem os rebordos para evitar abrir durante a fritura. Recorte-a com ajuda de uma carretilha.

Frite-as em óleo quente, escorra-as sobre papel absorvente e passe-as depois por uma mistura de açúcar e canela.

 
 
A mãe ainda não as provou, vamos ver se as aprova...


Notas:
- Para fazer o dobro da receita basta duplicar as quantidades e seguir o modo de confecção;
- A massa deve ficar bem esticada e fina para ficar estaladiça na fritura;
- Pode optar por rechear também com doce de grão, chila, abóbora ou amêndoa. Cá no Algarve as mais tradicionais e habituais são as de batata doce.

Dicas:
- Se preferir em vez de as passar pelo açúcar e canela pode fazer uma calda de mel e envolvê-las;
- Podem ser congeladas antes de fritar, dispostas num tabuleiro sem as sobrepor. Assim pode fazer com antecedência e fritá-las no dia em que vão ser consumidas;
- O recheio tmbém pode ser feito com antecedência e congelado.

13 dezembro 2009

Dom Rodrigo_dia azul | blue day

Se há cor que simboliza o Algarve é sem dúvida o azul. Azul do céu limpo, das águas quentes, das molduras de portas e janelas e das platibandas do casario típico, do traje típico da mulher algarvia, dos painéis de azulejos nas igrejas, das peças de olaria típicas, dos cascos das traineiras..
Azul é também uma das cores das folhas de estanho que envolvem um dos mais conceituados doces típicos algarvios, o Dom Rodrigo.

E é a ele que cabem as honras de fechar este desafio do Dia da Cor. Pensei publicar os Dom Rodrigos no dia amarelo mas, porque é exactamente o colorido dos papéis de estanho que tanto os caracterizam, optei por deixá-los para este dia.

Um obrigado especial à Mary que, através deste desafio, me estimulou a revisitar e dar a conhecer a minha querida região em pratos típicos.
Que venha o próximo!
 

Dom Rodrigo

Ingredientes (para 6 unidades): 250gr de fios de ovos, 50gr de miolo de amêndoa ralado, 250gr de açúcar, meio dl de água, 4 gemas, canela em pó q.b.

(T): Num tacho coloque 200gr de açúcar coberto de água e leve ao lume até formar ponto de pérola.
Retire do lume e misture a amêndoa. Deixe amornar, junte as gemas e leve novamente ao lume, mexendo até engrossar. Polvilhe com um pouco de canela.
Com o restante açúcar e água faça uma calda em ponto de fio. Coloque-a numa frigideira e leve ao lume. Quando ferver, deite por cima os fios de ovos e sobre estes a mistura feita anteriormente com o açúcar, amêndoa e as gemas.
Com a ajuda de duas espátulas, enrolam-se os fios de ovos em torno do recheio, envolvendo-o completamente.
Deixe alourar e retire da frigideira.
Corte 6 quadrados de folha de estanho prateado ou colorido.
Divida o preparado em quantidades iguais pelos 6 quadrados de estanho, una as quatro pontas de cada quadrado, enrole-as e dobre ligeiramente as extremidades laterais para dentro.
 

Notas:- Receita retirada do site da Câmara Municipal de Tavira.

10 dezembro 2009

Gratinado de couve-flor

As compras de Natal deste ano estão feitas. Gosto de as comprar e preparar tudo com tempo e este ano consegui. Há ainda um ou outro presente que quero fazer mas esses ficam para mais próximo da data.

Agora é altura de começar a pensar na consoada, menus, vinhos, disposição da sala, decoração e afins. Por tradição o bacalhau acompanha-nos na véspera e o pato no dia de Natal. A forma de cozinhar o bacalhau varia de ano para ano e fica sempre a cargo da minha mãe. Eu trato das entradas e dos doces, tarefa que também divido com ela que arregaça as mangas para fazer as tradicionais empanadilhas (azevias) e filhoses. O pato fica entregue aos meus tios que o cozinham e preparam para o almoço de dia 25.

À mesa sentam-se normalmente dezasseis pessoas. Conversas animadas junto da lareira a estalar até se ouvir o Pai Natal. Este ano são três crianças em casa e já estou ansiosa por vê-las a rasgar papéis e a saltar de alegria a cada presente.

Pela proximidade da data trago uma sugestão que acompanha na perfeição qualquer menu de carne ou peixe da consoada.


Gratinado de couve-flor

Ingredientes: 1 couve-flor média, molho béchamel, queijo parmesão ralado

Ingredientes molho béchamel: 600gr de leite, 60gr de farinha, 40gr de manteiga, sal, 1 pitada de açafrão em pó, pimenta e noz moscada q.b.

(B): Arranje a couve-flor, lave e separe os floretes. Coloque água até meio do copo, monte a varoma e coloque no tabuleiro os floretes da couve-flor. Programe 20min, temp varoma, vel 1. Reserve.
Para o béchamel coloque todos os ingredientes no copo e programe 8min, 90º, vel 4.
Unte um refractário com manteiga, disponha os floretes de couve e cubra com o molho béchamel. Polvilhe com o queijo e leve ao forno com o grill ligado até dourar.


(T): Arranje a couve-flor, lave e separe os floretes. Coza-a numa panela com água durante cerca de 15 minutos. Reserve.
Para o béchamel derreta a manteiga em lume brando, incorpore a farinha e adicione o leite quente, mexendo continuamente até levantar fervura. Tempere com o sal, a pimenta e o açafrão e deixe fervilhar durante cerca de 10 minutos em lume muito brando.Unte um refractário com manteiga, disponha os floretes de couve e cubra com o molho béchamel. Polvilhe com o queijo e leve ao forno com o grill ligado até dourar.


Notas:
- Pode juntar outros legumes à couve-flor, como bróculos por exemplo;
- Para um sabor a queijo mais acentuado substitua o parmesão por queijo de São Jorge.

07 dezembro 2009

Revuelto de cogumelos, alho francês e bacon

Cheguei de Espanha com uma vontade enorme de comer de novo o prato que compôs a minha última refeição por lá. Um revuelto de setas excelente que tentei recriar cá em casa com uns cogumelos selvagens que trouxe do mercado de Girona. Quando os comprei perguntei à vendedora qual a designação dos mesmos mas confesso que não consegui fixar o nome científico dos ditos, ainda para mais pronunciado em catalão.. (Se alguém os conseguir identificar pela foto agradeço que me digam)

O revuelto não ficou tão bom quanto o original mas que deu para matar saudades lá isso deu!


Revuelto de cogumelos, alho francês e bacon

Ingredientes: 1 mão bem cheia de cogumelos selvagens frescos, 1 tronco de alho francês, 1 dente de alho, 1 colher de sopa de bacon em cubos, 1 colher de sopa de azeite, 2 ovos, 2 colheres de sopa de natas de soja (podem usar normais), sal, pimenta de moinho e ervas de provence q.b.

(wok): Salteie no azeite o dente de alho picado finamente. Junte o bacon e uns minutos depois o alho francês cortado em rodelas finas. Quando o alho francês estiver translúcido acrescente os cogumelos lavados e escorridos. Polvilhe com as ervas de provence e cozinhe por cerca de 4/5 minutos. Entretanto bata os ovos, junte as natas e tempere com sal e pimenta preta moida. Deite os ovos por cima da mistura dos cogumelos e deixe cozinhar mexendo bem até os ovos estarem cozinhados.
Sirva de imediato.

Notas:
- Se os cogumelos libertarem muita água quando os estiver a cozinhar, escorra-a;
- Os cogumelos pleurotos devem resultar igualmente bem nesta receita.


Adenda: Descoberto o nome da espécie destes cogumelos: chaterelle.

03 dezembro 2009

Sopa de abóbora e feijão preto

No fim de uma viagem, regresso sempre com um misto de saudade e alegria. Trago comigo uma mão cheia de boas recordações, de saberes e sabores novos, de experiências enriquecedoras, mas também uma dor nas pernas que por alguns dias me faz recordar os quilómetros de ruas e ruelas percorridas a pé de mapa e máquina em punho.

Mas o regresso a casa sabe ainda melhor. Chegar e guardar os casacos, trocar as botas pelos crocs, comer uma sopa caseira quentinha, enroscar-me debaixo dos lençóis e dormir.. E, de manhã, acordar com aquele abraço da princesinha..

O pior mesmo é a mala por desfazer… : )

Sopa de abóbora e feijão preto

Ingredientes: 2 colheres de sopa de azeite, 1 cebola, 3 dentes de alho, 400gr de abóbora assada, 200gr de feijão preto escorrido, 150gr de tomate sem pele nem sementes, 1dl de vinho branco seco, 500ml de caldo de carne caseiro, 1 colher de café de cominhos, 1 mão-cheia de coentros picados, 1 mão-cheia de pevides de abóbora tostadas (opcional), sal e pimenta preta q.b.

(B): Coloque a cebola e o alho no copo e pique 5 seg na vel 5. Junte o azeite, os cominhos, o sal e a pimenta e programe 4 min, 100º, vel 1.
Junte a abóbora, o feijão preto, o tomate, o vinho e o caldo de carne e cozinhe por 20 min, 100º, vel 1. Triture tudo 20seg na vel 7.
Sirva com coentros e pevides de abóbora tostadas.


(T): Pique a cebola e os alhos e refogue-os no azeite. Tempere com os cominhos, o sal e a pimenta. Adicione a abóbora, o feijão, o vinho e o caldo de carne e deixe cozinhar por 30 minutos aproximadamente. Triture a sopa a gosto.
Sirva com coentro e pevides de abóbora tostadas.



Notas:
- Receita adaptada daqui;
- Adapte a quantidade de caldo de carne à consistência que mais aprecia na sopa;
- Pode juntar umas gotas de piri-piri ou tabasco a gosto.